segunda-feira, maio 28, 2012


Robert Procop arma exposição com joias assinadas por Angelina Jolie


Robert Procop e a atriz Angelina Jolie: expo de joias na França
O joalheiro Robert Procop vai lançar uma exposição com as joias desenvolvidas em parceria com Angelina Jolie, bem como as de sua coleção Exceptional. Realizada em dois endereços no sul da França, o Grand Hotel, em Saint-Jean-Cap-Ferrat, e o Hotel de Paris, em Mônaco, as imponentes peças ficarão à mostra entre os dias 15.07 e 15.08. “São lugares perfeitos, onde todos amam passar o verão”, disse o designer ao WWD.

Colar e brinco da coleção da atriz com o joalheiro
Logo após o fim da expo, em setembro, Procop planeja vender as peças em boutiques selecionadas na Russia, China, Estados Unidos e Turquia, com parte da renda arrecadada voltada para a instituição de caridade em prol das crianças que sofrem em conflitos e guerras, aEducation Partnership for Children of Conflict.
A parceria entre Procop e a atriz é de longa data: além da coleção em conjunto, batizada de The Style of Jolie (vendida, sob encomenda, desde 2010), a bela já usou as peças do designer em diversos red carpets nos últimos anos, assim como no filme O Turista. Quer mais? O supercomentado anel de noivado da beldade com Brad Pitt também foi criado por ele, que já se tornou amigo da família mais famosa do showbizz.

Angelina Jolie com brinco by Robert Procop na première do filme O Turista. À direita, em cena do longa usando colar do designer

segunda-feira, maio 21, 2012


Edgar Allan Poe

19/1/1809, Boston, EUA
7/10/1849, Baltimore, EUA.

[creditofoto]
Edgar Allan Poe destacou-se como contista, poeta e crítico literário exigente
Segundo filho de David Poe e Elizabeth Arnold, ambos atores, Edgar Poe ficou órfão ainda criança e foi adotado por um casal rico de Richmond, Virgínia, Jonh Allan e Frances Kelling Allan. Isso lhe permitiu ter uma educação de qualidade, bem como fazer uma longa viagem pela Inglaterra, Escócia e Irlandacom os pais adotivos.

Regressou aos Estados Unidos em 1822 e continuou seus estudos sob a orientação dos melhores professores dessa época. Dois anos depois, entrou para a Universidade de Charlotesville, distinguindo-se tanto pela inteligência quanto pelo temperamento inquieto, que o levou a ser expulso da escola.

A seguir, verificou-se um período ainda pouco esclarecido na vida de Poe, no qual se registram viagens fora dos Estados Unidos. Retornou a seu país em 1829 e manifestou desejo de seguir a carreira militar. Foi admitido na célebre Academia de West Point, mas acabou expulso poucos meses depois por indisciplina.

Com a morte da mãe adotiva, John Allan voltou a casar-se, com uma mulher muito jovem que lhe deu dois filhos. Isso impediu que Poe se tornasse herdeiro da fortuna paterna e ele se afastou da casa do pai adotivo, deixando Richmond. Após um período de relativa dificuldade, conheceu uma certa prosperidade ao vencer simultaneamente os concursos de conto e poesia promovidos pela revista "Southern Literary Messager".

O fundador da publicação, Thomas White, convidou-o a dirigir a revista que rapidamente se impôs ao público. Durante dois anos, Poe esteve a frente do periódico, onde pôde exibir seu talento, que se manifestava num estilo novo, no conto e na poesia, bem como pelos artigos de crítica literária que revelavam seu rigor e sensibilidade estética.

Escritor bem-sucedido, Poe casou-se com Virginia Clemm. Entretanto, ao fim de dois anos, White cortou relações com o escritor, que já desenvolvera a doença do alcoolismo. Poe passou a produzir como "free-lancer", em grande quantidade, mas sem ganhar o suficiente para manter uma vida digna e saudável, o que o levou a afundar-se ainda mais na bebida.

A morte de sua mulher agravou o problema. O escritor passou a suicidar-se aos poucos, bebendo cada vez mais e já sofrendo os primeiros ataques de delirium tremens. Numa viagem a Nova York, para tratar de negócios, parou em Baltimore e hospedou-se numa taberna onde se distraiu durante horas bebendo com amigos. Era a noite de 6 de outubro de 1849. O escritor morreu na madrugada do dia 7, aos 40 anos.

Hoje Poe é um escritor estudado e cultuado em todo o Ocidente. Entre suas obras destacam-se: The Raven (O Corvo, poesia, 1845), Annabel Lee(poesia, 1849) e o volume Histórias Extraordinárias (1837), onde aparecem seus contos mais conhecidos, como "A Queda da Casa dos Usher", "O Gato Preto", "O Barril de Amontillado", "Manuscrito encontrado numa Garrafa", entre outros, considerados obras-primas do terror.

quarta-feira, maio 16, 2012



Para Gabriel, alguém que me faz sentir vontade de rir constantemente. A única pessoa que eu conheço que não sabe tirar  o sorriso do rosto

O que eu peço pra você, são teus olhos em mim pra sempre.
Continue a me olhar desse jeito seu, com todo esse desejo saltando para fora feito labareda, esse orgulho não sei de que, e esse carinho no fundo dos olhos.
No seu olhar eu vejo nós dois.
Siga comigo por todos os caminhos e continue a me guiar... Afinal, sem você eu me perco de mim.
Avance todos os sinais vermelhos e venha cheio de dedos e mãos e língua, porque eu vou estar aqui, onde sempre estive. Como sempre estive... Cheia de corpo, carne e boca para te envolver inteiro e te preencher de tudo que há em mim.
Não me perca de vista, pois há na minha solidão um grande perigo. Não me livre dos teus cuidados, dos teus afagos, dos teus beijos... Esses beijos que só nós dois sabemos dar. Só nós dois podemos dar.
Toque para mim a mais bela canção. Deixe-me entrar no seu tom. Abra a porta e me dê boas vindas, pois da tua história eu não saio mais.
Continue tonto, continue calmo, pois vou permanecer como um sussurro eterno em teu ouvido.
Sou agradecida por ter sido um furacão que passou em tua vida e te arrastou. E não duvide de que serei ventania e mar revolto. Nestes momentos, me tome nos braços e me embale... Me deixe ficar aí, contigo, no teu peito, pois uma hora qualquer a calma acaba por vir.
Me beba, como um vinho doce que escorre por tua garganta. Sinta o gosto bom da paixão.
Tome a sua dose do meu desejo, da minha loucura. Voe comigo...
Embriague-se de mim.
Perca o sono. Acorde suado, sobressaltado, assustado.
E quando eu for a tua insônia não insista em manter os olhos fechados, porque quando você olhar para o lado irá me encontrar, princesa sua, e então você poderá se aliviar e me abraçar.
Te acolherei em meu seio.
Te protegerei do escuro da noite e serei teu Sol na madrugada.
Permita-me morar na tua memória, ficar nos teus pensamentos ao longo dos seus dias, tirando a sua concentração, te mantendo ocupado com nossas lembranças boas, ameaçando a tua paz... Eu sou um devaneio teu.
Abra teus ouvidos para a minha risada. Faça isso e faça isso agora, pois a culpa por cada sorriso meu é disto que chamamos de amor.
E em cada lugar que sentir meu cheiro, se demore um pouco mais... Inspire bem profundo...
E cheire.
Nunca deixe de ser a poesia que enfeita a minha vida...
Lembre-se: Comigo, sempre haverá um sonho bom...
No mais, deixe que eu seja sua, que eu seja louca, que eu seja luz...
Traga para mim o possível, que o impossível eu darei pra você.
Viva comigo seus anos, seus, dias, suas horas, seus minutos...
E envelheça comigo.
Não é um pedido. É do meu jeito.


O que seria se não fosse tudo o que me aconteceu? Desde que nasci? Tudo o que me aconteceu... O que seria de mim se fosse tudo diferente?


Eu tenho uma curiosidade profunda pelo passado, que gera o presente, que cria o futuro...
Estou aqui sem te reconhecer, sem saber quem és, rasgando a porra do peito o peito.
Eu então que acredito na vida, na minha hermética vida, a explorar cada canto meu que eu não queria que soubessem... Revelo meus esconderijos sem saber e quando percebo, todos já sabem de mim.
É que me acostumei com porra da a insegurança. Essa coisa que me cega e me faz viver na corda bamba e cada passo. E é tão difícil caminhar...
O que fazer de mim, meu Deus? O que fazer????
Eu seria uma morte aguda e profunda e cética se não fosse tudo o que vivi...
Eu seria um nada tão nada quanto o cuspe do cara bêbado na calçada... Por que tudo que não fez sentindo, continua não fazendo. Não muda não. Não faz sentido. Aceite esta merda, se quiser!
 Então eu questiono... Precisa fazer sentido?
Precisa.
Porque eu morri várias vezes para renascer.
Muito prazer. Meu nome é Fenix renascida das cinzas, do breu de porra nenhuma.
O que eu tenho, agradeço por ter. O que não tenho, procuro culpados.
Quero a minha vida do jeito que ela existe na minha cabeça. Isso sim faz sentido...
Eu vivo como se cada dia fosse o último e caio, e faço merda e recaioe falo coisas... Muitas coisas, das quais me arrependerei depois... (e remorro, e renasço)
Não sei. O não saber me dá a mão agora e me guia. Dê-me também a sua mão. Você que eu desconheço me salvará de mim.
E o que fazer da saudade filha da puta esmagando meu peito?
Eu sei disso. Que merda... Olha eu bancando a Blanche DuBois... Mas há um “Bonde chamado desejo”...  Há também um Bonde chamado angústia.
E é nesse que eu vou...
E parto.
Sem saber de mim.
E me entrego. Entro na minha escrita, minha vida, minha história, minha angústia...
Entrego tudo a ti, que não conheço.
Me salva!

Acredito que a vida possa ser leve.
Talvez seja, para aqueles que não praticam tão intensamente o exercício do pensamento. Mais que pensar, o peso que cai sobre mim deriva dos muitos sentimentos que absorvo e trituro em meu interior.
 Não há um filtro. Eu mesma me tornei o próprio filtro.
Tudo o que chega até mim através dos sentidos passa por todo o meu ser, para depois se instalar ou ir embora... Não importa.
Tudo passa por mim. Tudo sinto. E nada fica igual.
Essa carga de instabilidade que transpassa a vida traz consigo grandes mistérios...
 (...)
Acho que estou cansada...
Não cansada da vida, ou cansada de viver. O que me cansa é o esforço que faço para me manter viva. Viver tem exigido muito de mim...
Bem, talvez se não houvesse o esforço também não haveria graça. E tenho que admitir: A vida tem graça! Está cheia de graça. Faz graça. É de graça.
(O que custa caro é o preço que pagamos pelas escolhas que fazemos).
No mais, quero que fique claro que, o que aqui declaro não é uma reclamação, tampouco um protesto ou algo do gênero. Longe disso! É só mais um desses sentimentos que resolveram não morar mais em mim...
Eu só queria descansar um pouco... Por uns tempos...
Não falo de um descanso da vida, mas sim a uma pausa nos sentimentos.
Dar um tempo nas verdades das sensações.
O que sinto hoje é um desejo profundo de neutralidade, de ignorância. Desejo de ausência...
(Mas até o desejo é uma sensação).
É... Pode ser que eu não ande mesmo muito bem da cabeça, mas me ocorre uma felicidade larga quando penso numa vida branca...
(Mas até a felicidade é um sentimento).
O que de fato me importa, é que apesar do peso, de todo cansaço, a minha alma ainda está inteira! E o meu corpo, mesmo relutante, está preparado para mais esforços.
Afinal, meu “eu” quer mais é viver do jeito que for.

segunda-feira, maio 14, 2012

Causas do sono excessivo


O que é?

Muitas pessoas sofrem com o problema dessa síndrome  sono excessivo. Ter esse sono excessivo é completamente prejudicial para a saúde e para o rendimento durante o dia. No trabalho o indivíduo fica sonolento e acaba não rendendo o que a empresa espera que ele renda. Ao ter que fazer algumas coisas que irão exigir mais atenção, o indivíduo poderá se prejudicar, pois não conseguirá manter a atenção que é preciso para realizar a tarefa.
Dormir é bom, repõe nossas energias que foram perdidas no decorrer do dia, mas tudo isso também pode parecer prejudicial. Muitas pessoas não acreditam que o sono excessivo possa causar problemas na vida de alguém, mas é extremamente perigoso sentir sono em determinadas ocasiões, como ao dirigir por exemplo. Muitas pessoas já sentem sono ao andar de carro, imagina as pessoas que possuem sono excessivo, essa vontade de dormir aumenta, sendo muito perigoso caso essa pessoa esteja no volante do veículo, colocando a sua vida em risco e a de mais pessoas que a acompanham.

Causas

Existem diversas causas que podem levar o indivíduo a ter sono excessivo, algumas como:
  • Estresse durante a noite
  • Apnéia do sono
  • Fadiga
  • Depressão
  • Horas de sono insuficiente
  • Uso de medicamentos
  • Uso de álcool e drogas

Tratamento

tratamento será baseado na causa do sono excessivo. Se por acaso a pessoa sente sono abundante devido ao consumo de álcool ou drogas, será preciso tratar a dependência para que o problema com o sono seja resolvido. Em casos de estresses a noite, o individuo acaba perdendo o sono no momento certo transferindo esse sono para a parte diurna, isso pode ser evitado tratando o foco do estresse. Um tratamento psicológico nessas horas ajuda muito, por exemplo, em casos de depressão, aonde a pessoa não tem vontade de fazer nada e só quer passar boa parte do seu dia dormindo. Para quem possui apneia do sono, é preciso procurar um especialista, pois além de causar sono excessivo é também extremamente prejudicial pra saúde com relação ao seu sistema respiratório.

sábado, maio 12, 2012

Quebra-Cabeça


Quebra-Cabeça


O quebra-cabeça é um dos jogos mais instigantes que há. Incentiva a memorização. Requer um alto poder de concentração e exige raciocínio lógico e muita, muita paciência, qualquer decisão errada compromete o andamento do projeto inteiro.

Para as crianças o quebra-cabeça é muito educativo, desenvolve habilidades e ensina a criança a raciocinar e se concentrar. Diverte e ensina. Como sempre: as crianças aprendem brincando.

Na vida afetiva, muitas vezes, um relacionamento é como um quebra-cabeça. Exige concentração, raciocínio e paciência em dose cavalar. Mas o que fazer quando você percebe que o jogo da sua vida parece estar faltando peças? O que fazer quando as peças não se encaixam? Será que as peças que não se encaixam, ou você que está colocando-as no lugar errado?

Assim como no quebra-cabeça de brinquedo, na vida também bate um desespero quando as peças não se encaixam. Quando a imagem não se forma mesmo depois de inúmeras e incansáveis tentativas as coisas não dão certo a vontade que dá é de jogar tudo pra cima. Mas aí é que entra o auto-controle. Você para, respira, se acalma, se concentra e volta ao trabalho.

O que faz a gente continuar tentando é a sensação de dever cumprido que temos no final. Quando apreciamos a beleza da imagem pronta a nossa frente, lembramos do trabalhão que deu e o orgulho de estufar o peito e dizer: "Eu que fiz!" nos toma por completo.

Então, estou aí catando as peças do meu quebra-cabeça particular e montando aos poucos, ora feliz, ora estressada, ora eufórica, ora concentrada, ora com a cabeça nas nuvens, mas sempre com a certeza de que eu vou conseguir.

Se por acaso alguém encontrar alguma peça do meu quebra-cabeça, me avisa, tá?

Por quê eu te amo?


Te amo porque você chegou na minha vida de mansinho. Não exigiu nada, não impôs nada, não demonstrava pretensão alguma... Foi chegando com quem não quer nada e se estabeleceu, definitivamente, dentro do meu coração.

Te amo porque isso me faz bem e o fato de sentir a veracidade da reciprocidade é só um complemento. Que bom que é assim! Mas, se não o fosse eu amaria do mesmo jeito.

Te amo porque você cuida de mim quando estou doente, faz sopinha, compra remédio, dorme do meu lado me fazendo cafuné e me acompanha ao dentista porque sabe que sairei de lá sentindo dores (maldito aparelho).

Te amo porque você pertence ao mundo das letras e ainda assim foi se aventurar no universo dos números só para me socorrer. Aprendeu álgebra só pra me auxiliar na matéria que mais me consome na faculdade.

Amo-te porque você me liga no meio do dia e quando eu menos espero só pra saber se eu estou bem.

Amo-te porque a saudade que eu sinto de você quando estamos longe é inversamente proporcional à necessidade que sinto da sua presença. Amo por amar e não por precisar.

Amo-te porque quando você chega é como se o sol se abrisse e as flores sorrissem para mim. Sua presença me traz alegria e calma.

Amo-te porque antes de ser meu parceiro na cama você é meu amigo, confidente, ouvinte, conselheiro...

Amo-te porque esse amor é um sentimento leve, suave, tranquilo... amar você não me traz carga alguma e é uma delícia sentir-me amada da mesma forma. Com tamanha leveza.

Amo-te porque sinto que, se por algum motivo, amanhã esse sentimento não existir mais, surgirá outro, talvez gratidão ou amizade.

Amo-te porque isso só me faz bem. Antes de amá-lo, amo a mim e certamente esse é o nosso ponto de equilíbrio.

domingo, maio 06, 2012

O QUE É SER UMA CRIANÇA ÍNDIGO





As crianças índigos são seres especiais que vieram somar forças e conhecimentos em prol do crescimento do nosso planeta. Como todas as crianças, precisam de amor, compreensão e respeito.

Hoje em dia, é comum a gente ouvir falar de crianças índigo, que estão encarnando entre nós desde a década de 70, intensificando-se na de 80. São seres com poderes especiais, que vieram ao nosso planeta para ajudar a impulsionar o nosso progresso. Seu nome deriva da cor índigo de sua aura, sendo a freqüência índigo de alta vibração espiritual, demonstrando manifestação dos centros energéticos superiores (6º e 7º chakras).
Vieram, segundo Divaldo Franco, de um grupo de estrelas chamado de Plêiades, cujo sol é Alcione, centro da nossa galáxia. Várias escrituras de várias religiões se referem às Plêiades como de grande importância na evolução do nosso planeta. E isso porque, segundo alguns estudiosos, a energia proveniente de Alcione trará uma luz de pureza aos seres humanos. Dizem que as energias de Alcione são exclusivamente cósmicas e produzirão uma luz constante que durará aproximadamente 2 mil anos. Será uma luz atérmica, sem calor, que não produzirá sombra, capaz de iluminar todos os seres e todos os lugares, tanto externa quanto internamente.
Essa questão sobre Alcione é bastante controvertida.  Afirmam os astrônomos que ela não é o centro da galáxia e que a Terra dela está se afastando.  Verdade ou mentira, o fato é que as crianças índigo estão aí, e ninguém pode negar que são diferentes.  Também não se nega a verdade incontestável de que o planeta está mudando.
Assim como, há milhares de anos, os habitantes de Capela vieram ao nosso planeta para ajudar no progresso da humanidade, naquela época ainda muito rudimentar, também os índigos chegam até nós para dar essa mesma ajuda, preparando o nosso planeta para uma nova era, pois a Terra passará de um rudimentar mundo de dor para um mundo de iluminação. Há aí uma diferença: de Capela, vieram para cá os seres mais rebeldes, que teimavam em persistir no mal, atrasando a evolução daquele mundo. Com seu intelecto mais desenvolvido, impulsionaram o nosso progresso tecnológico, embora a moral permanecesse ainda bastante atrasada.
Esses espíritos que agora chegam têm uma missão muito diferente dos capelinos. Todos eles têm altos níveis intelectuais e psíquicos, mas não necessariamente serão moralmente mais elevados. São seres que já vêm prontos para auxiliar o nosso progresso, mas o direcionamento de sua moral vai depender muito de nós. Embora sensíveis e de fácil assimilação dos ensinamentos, são almas que precisam ser modeladas.
Não são melhores nem piores do que as crianças comuns. São apenas diferentes, têm um potencial psíquico e energético maior. Há crianças que não são índigos que têm um amadurecimento espiritual muito grande, porque já viveram muitas vidas neste planeta, aprenderam muito e adquiriram uma grande bagagem espiritual e moral, estando até em condições de ajudar na adaptação e orientação dos índigos. Então, ser índigo não significa ser melhor. Os índigos também têm muito o que aprender, e seu aprendizado dependerá de nós.
Essas crianças possuem características peculiares. Desde cedo demonstram-se conscientes de que pertencem a uma geração especial, têm alto nível de inteligência e chegaram para provocar mudanças e revisão de crenças e valores. Os índigos costumam ser gentis e possuem um novo estado de consciência, um sistema imunológico fortalecido, telepatia, capacidade para prever o futuro, reconhecer seres etéreos, são intuitivos e possuem dom de cura. Resumindo, são grandes médiuns.
Nascem em qualquer classe social e econômica. Geralmente comem pouco e são mais delgados, possuem olhos grandes e expressivos, com o lóbulo frontal ligeiramente pronunciado e podem ser canhotos ou ambidestros. Têm o dom de ver a aura das plantas e dos animais, além de seres de outras dimensões, como fadas e gnomos. Têm uma hipersensibilidade olfativa e tátil, chegando a se incomodar até com a etiqueta das roupas, pois preferem tecidos de algodão puro, mais macios.
A criança índigo tem absoluta consciência daquilo que está fazendo, é rebelde por temperamento e não responde à autoridade. Não adianta ficar dando ordens a um índigo, porque ele será sempre teimoso. Também não teme ameaças nem cede a chantagens. É preciso ter paciência e explicar o porquê. Só quando ele compreende a ordem, e ela faz sentido para ele, é que ele obedece. Se não, pode obedecer, mas por obediência a uma imposição paterna, o que faz com rebeldia.
Aprende de forma diferente, mais pela prática do que pelo estudo. E, depois que aprende, desinteressa-se pela coisa e larga para lá. É aquela criança que ganha um brinquedo e logo larga, não por ser mimada, mas porque, ao conhecer todo o seu funcionamento, não se interessa mais por ele e quer outro, para aprender outras coisas. Ou é destrutiva, não por perversidade, mas por curiosidade. Como vem de uma dimensão onde os objetos não são familiares, quando vê algum objeto diferente, quebra-o para poder olhar sua estrutura. Daí estar sempre querendo ganhar coisas novas.
Está sempre perguntando por que em cima de por que. Quanto mais a gente responde, mais ela quer saber, até esgotar o assunto e ficar satisfeita. E vai além do que vê e ouve, demonstrando curiosidade pelo que está por trás das histórias, pelo que não estamos vendo nos filmes.
Pode ter amigos imaginários e presta atenção a várias atividades ao mesmo tempo. Gosta de videogames violentos, pois essa é uma forma de gastar a energia que tem sobrando, mas se sua energia não for bem direcionada, pode ser violento.
Fala pelos olhos, desde bebê. Não fica em fila e vive atropelando as pessoas. Não é capaz de permanecer sentada durante um determinado período. No cinema, então, é uma tortura, porque está sempre chutando a cadeira da frente.
Muitas vezes, por não compreendermos a criança, acabamos não dando crédito a seus dons, o que pode levar o índigo à introspecção, à rebeldia, ao uso de drogas e ao crime. Quando uma criança falar ou fizer algo que parece absurdo, devemos conversar com ela, mas nunca rir, debochar ou brigar. Coisas do tipo: pare de inventar, pare de mentir, não tem nada aí, isso tudo é imaginação, que coisa feia só vão fazer com que a criança se torne agressiva ou se encolha. Qualquer uma das duas opções não é boa e vai tirar a espontaneidade da criança. A compreensão é o melhor caminho, até porque, a criança pode estar se referindo a algo aparentemente absurdo para nós, mas que está realmente vendo ou ouvindo ou que está registrado na memória dela como algo vivido em outra dimensão ou outro planeta.
E temos que nos conscientizar: não é porque somos adultos que detemos o privilégio da verdade.
A imensa maioria dos índigos é hiperativa ou tem o que se chama TDAH – TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE. São crianças agitadas e com dificuldade de concentração. Como possuem uma visão diferenciada das coisas, não se dão bem em escolas tradicionais, tornando-se quase insuportáveis.
O remédio para o hiperativo tem sido a Ritalina, uma substância profundamente perturbadora, chamada a droga da obediência. A criança fica acessível, sim, mas perde a espontaneidade.
A hiperatividade é um exercício e um aprendizado para os pais. Quem recebe um índigo hiperativo como filho tem muito que aprender com ele. E a Ritalina é o caminho mais fácil para os pais, porque uma criança hiperativa leva qualquer um à loucura. Todavia, há outros métodos que auxiliam no tratamento, como homeopatia, florais e terapias espiritualistas.
Mas o melhor tratamento que podemos dar a um índigo ou mesmo ao hiperativo é o amor. Temos que nos conscientizar de que a criança não é um adulto em miniatura, muito embora, às vezes, se comporte como tal. É um ser em formação, que necessita de atenção e carinho. Não precisamos mimá-la, mas também não devemos exigir muito dela. É preciso observar a conduta das crianças, evitando punições e, ao mesmo tempo, colocando limites através do diálogo e da compreensão. A agressividade os torna rebeldes, o que pode levar alguns ao crime.
São crianças difíceis no tratamento diário, mas afetuosas. Para conquistá-las, basta tratá-las com amor. Devemos educá-las apelando para a lógica e o bom-senso. Devem ser orientadas e esclarecidas tantas vezes quantas forem necessárias. Devemos colocá-las no colo, fazer-lhes carinho, ensiná-las a orar e a conhecer as coisas divinas. Temos que lhes dar valores, porque elas são diferentes, mas precisam ser ensinadas. São como diamantes brutos: com toda a beleza e brilho, só precisando ser lapidadas.
Essa é a melhor forma de tratarmos as crianças, sejam índigos ou não.
Desde que me entendo como ser pensante, me pergunto o motivo de ter nascido na família que tenho e por não ter sido e ser compreendida com o mesmo raciocínio que tenho sobre as coisas e fatos do dia a dia.

Como creio que nesta vida nada é simplesmente por puro acaso, ouvi ao passar pela tv, uma cena que a atriz justamente dizia o que é ser uma criança índigo. Levando em consideração que essas crianças começaram a surgir por volta das últimas três décadas, me vi encaixada no perfil delas. Busquei informação na internet e comprovei o que eu já sabia. A identificação foi de imediato, e hoje eu sei quem e o que eu sou neste mundo. Entendo perfeitamente o porquê que eu ter sido subjugada todos estes anos e nunca ter me enquadrado em nenhum grupo. Eis a definição do que sou:

Crianças índigo - é uma condição humana defendida pela pseudociência e a parapsicologia. Estas ciências afirmam que os "Índigos" se tratam de uma nova geração de crianças com habilidades especiais, e que têm por objetivo a implantação de uma "Nova Era" na Humanidade. Estas crianças têm no geral habilidades sociais mais refinadas, maior sensibilidade, desenvolvimento profundo de questões ético-morais e portariam personalidades peculiares que possibilitariam facilmente sua identificação relativamente a outras crianças.
Embora farta literatura tenha sido publicada nos últimos anos, não há comprovação científica sobre o fenômeno, bem como o sistema de classificação "crianças índigo" e "crianças cristais" é rejeitado por conselhos de pediatria e especialistas em educação infantil. Contudo, é de notar a crescente relevância que as crianças índigo têm revelado para a parapsicologia.
Chamam-se crianças índigo a certos indivíduos que, supostamente ao nascer, trouxeram características que os diferenciam das crianças normais, tais como a intuição, a espontaneidade, a resistência à moralidade estrita e restritiva, e uma grande imaginação, avolumando-se frequentemente também entre tais capacidades, os dons paranormais, embora estes dons não sejam usualmente do conhecimento da própria criança. As crianças índigo podem ser vistas como uma espécie de milenarismo, em que se acredita que tais seres mudarão o mundo trazendo-o até um estado mais espiritual e menos estritamente moralizado.
Há que notar que uma boa quantidade das crianças índigo são classificadas de  hiperativas ou diagnosticadas com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, o que explicaria em boa parte o crescente interesse de pais e educadores por este assunto.
As crianças índigo apresentariam uma série de atributos sensoriais recorrentes, como a hipersensibilidade auditiva ou a hipersensibilidade tátil. De igual modo, apresentariam um padrão de comportamento peculiar, destacando-se:
§                    Chegam ao mundo com sentimento de realeza e a curto tempo se comportam como tal;
§                    Têm a sensação de ter uma tarefa específica no mundo, e se surpreendem quando os outros não a partilham;
§                    Custa-lhes aceitar a autoridade que não oferece explicação nem alternativa;
§                    Sentem-se frustrados com os sistemas ritualistas que não requerem um pensamento criativo;
§                    A curto tempo, encontram formas melhores de fazer as coisas, tanto em casa como na escola;
§                    Parecem ser anti-sociais, a menos que se encontrem com pessoas como eles;
§                    Não reagem pela disciplina da culpa;
§                    Acreditam que isso foi um dom de Deus e que eles se comunicam através do pensar
§                    Não são tímidos para manifestar as suas necessidades.
Segundo os investigadores desta temática, podem ser identificados quatro tipos de crianças índigo:
Humanistas - muito sociais, conversam com toda a gente e fazem amizades com muita facilidade. São desastrados e hiperativos. Não conseguem brincar só com um brinquedo, gostam de espalhá-los pelo quarto, embora às vezes não peguem na maioria. Distraem-se com muita facilidade. Por exemplo: se começam a arrumar o quarto e encontram um livro, nunca mais se lembram de acabar as arrumações.Como profissões, escolherão ser médicos, advogados, professores, vendedores, executivos e políticos. Trabalharão para servir as massas e, claro, atuarão sempre ativamente.
Conceptuais - estão muito mais voltados para projetos do que para pessoas. Assumem uma postura controladora. Se os pais não estiverem pelos ajustes e não permitirem esse controlo, eles vão à luta. Tem tendência para outras inclinações, sobretudo drogas quando da puberdade, caso se sintam rejeitados ou incompreendidos. Daí a redobrada atenção por parte de pais e educadores em relação aos seus padrões de comportamento. No futuro poderão ser engenheiros, arquitetos, pilotos, projetistas, astronautas e oficiais militares.
Artistas - são criativos em qualquer área a que se dediquem, podendo, inclusive, vir a ser investigadores, músicos ou atores altamente conceituados. Entre os 4 a 10 anos poderão vir a interessar-se por até 15 diferentes áreas do conhecimento (ou instrumentos musicais, por exemplo), largando uma e iniciando outra. Quando atingirem a puberdade, aí sim, escolherão uma área definitivamente. Poderão ser futuros professores e artistas.
Interdimensionais - entre os seus 1 e 2 anos os pais não podem tentar ensinar-lhes nada, pois eles responderão que já sabem e que podem fazer sozinhos. Normalmente, porque são maiores que os outros tipos de índigos, mostram-se mais corajosos ainda e por isso não se enquadram nos outros padrões.
Desta forma, os estudiosos do assunto acreditam que estas crianças seriam as responsáveis pela introdução de novas filosofias ou espiritualidade no mundo.

você só descobre que se deu mal quando mensagens e convites param de chegar ao celular

lI ESTA POSTAGEM DO IVAN mARTINS HOJE E NÃO RESISTI. BATEU FEITO FLECHA.... Queira ou não, gente solteira vive em processo seletivo...