quinta-feira, agosto 30, 2012

dois meses...
não houve arrependimento.
não houve conversa.
eu sinto por alguma coisa, mas não sei exatamente o que possa ser.
nunca mais vou me deixar ficar assim.
eu olho pro nada e me pego chorando.
... nada mais a dizer... estou apenas sentindo...dor.

domingo, agosto 26, 2012

Flechas

Em seu livro Autocura Tântrica III (Ed. Gaia) ele esclarece: "Para começarmos a vivenciar os níveis mais profundos da Autocura, nossa mente precisa começar a aceitar e usar o espaço interior da forma correta. Temos que compreender que há mais espaço em nossa mente muito sutil do que no mundo externo. Além disso, também precisamos entender que as situações perigosas que hoje vivenciamos são o resultado de causas e condições negativas criadas por nós no passado. É muito imCurar a ferida em primeiro lugar


Quando somos atingidos por uma flecha, não devemos perder tempo buscando saber quem e por que nos feriu. Mas, sim, arrancar a flecha fora e cuidar, o quanto antes, da ferida. Este é o modo budista de lidar com os problemas: focamos a cura ao invés de cultivar a indignação que gera ainda mais dor. 


Em vez de responder aos inúmeros porquês, focamo-nos em lidar com a situação de modo a assumir o autocontrole diante de nossos problemas. Afinal, quando não podemos mudar uma situação externa, ainda assim, podemos transformar o nosso modo de encará-la. 


Enquanto estivermos contaminados pelo cansaço, pela raiva ou pela indignação, nossas atitudes serão tendencialmente unilaterais ou vingativas. O que o budismo nos alerta é que a primeira coisa a fazer quando recebemos qualquer tipo de agressão é nos interiorizarmos para recuperar o espaço interior.


Mais do que uma percepção mental dos fatos, devemos buscar o equilíbrio interior para que nosso pensamento volte a ser claro e amplo. 


Na medida em que nos concentramos em curar a ferida, ao invés de indagar o porquê ela ocorreu, cultivamos o hábito mental de buscar soluções práticas que nos ajudam a nos desvencilhar dos problemas. Deste modo, não ficamos presos ao discurso "ele não podia ter feito isso comigo" que nos leva apenas à paralisia, mas passamos a nos mover em direção à solução interior, o que nos leva a um senso profundo de liberdade de podermos ser quem somos.


O mundo à nossa volta está repleto de informações conflitantes e confusas. Tornamo-nos reféns dos outros enquanto nos deixamos enganchar por seus conflitos. 


Para nos desvencilharmos das confusões alheias, precisamos antes de tudo recuperar nosso espaço interior. Esta é a diferença entre gritar para o outro: "Me solta" e dizer internamente: "Eu me solto". 

Desta maneira, ganhamos autonomia interior, isto é, recuperamos o prazer e a habilidade de exercitar a nossa própria vontade de nos acalmar. Lama Gangchen nos encoraja a praticar a Autocura quando nos fala: "Basta reconhecermos nossa própria capacidade e ousarmos aceitá-la".


Em seu livro Autocura Tântrica III (Ed. Gaia) ele esclarece: "Para começarmos a vivenciar os níveis mais profundos da Autocura, nossa mente precisa começar a aceitar e usar o espaço interior da forma correta. Temos que compreender que há mais espaço em nossa mente muito sutil do que no mundo externo. Além disso, também precisamos entender que as situações perigosas que hoje vivenciamos são o resultado de causas e condições negativas criadas por nós no passado. É muito importante praticarmos a Autocura, pois se continuarmos a gravar negatividades em nosso espaço interior, embora nosso coração não possa explodir, uma terrível explosão global de negatividade pode acontecer, causando nosso Armagedão individual e planetário".

Para parar de gravar negatividades em nosso espaço interior, precisamos cultivar o hábito de nos interiorizarmos, de ampliarmos nosso espaço interior. Mas a capacidade de nos autossustentar surge à medida em que nos sentimos disponíveis para nós mesmos.


Se não nos sentimos capazes de lidar com certas emoções, devemos buscar pessoas que nos incentivem a lidar positivamente com elas. A solidariedade alheia nos ajuda a sentir e aceitar o que nem mesmo somos capazes de entender. 


Encantos e boas energias


O importante é buscar coerência entre nosso mundo interior e a realidade exterior. Viver bem pressupõe considerar a realidade acima de qualquer coisa.


Ao recuperar o espaço interior, ganhamos uma nova disponibilidade para agir. 


Bel Cesar é psicóloga e pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetanoportante praticarmos a Autocura, pois se continuarmos a gravar negatividades em nosso espaço interior, embora nosso coração não possa explodir, uma terrível explosão global de negatividade pode acontecer, causando nosso Armagedão individual e planetário".


Para parar de gravar negatividades em nosso espaço interior, precisamos cultivar o hábito de nos interiorizarmos, de ampliarmos nosso espaço interior. Mas a capacidade de nos autossustentar surge à medida em que nos sentimos disponíveis para nós mesmos.


Se não nos sentimos capazes de lidar com certas emoções, devemos buscar pessoas que nos incentivem a lidar positivamente com elas. A solidariedade alheia nos ajuda a sentir e aceitar o que nem mesmo somos capazes de entender. 


Encantos e boas energias


O importante é buscar coerência entre nosso mundo interior e a realidade exterior. Viver bem pressupõe considerar a realidade acima de qualquer coisa.


Ao recuperar o espaço interior, ganhamos uma nova disponibilidade para agir. 


Bel Cesar é psicóloga e pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetano

sexta-feira, agosto 17, 2012

Eu aindnão  me recuperei. Eu não estou com saudade do Gabriel eu estou com saudade de mim. Eu estou com raiva de mim. Eu me deixei ser enganada de novo.Eu me deixei ter esperança de novo e mais uma vez eu me decepcionei. Dessa vez muito muito mais.Repeti muitas vezes a palavra "eu" , pois preciso me afirmar de minha culpa pode ter me deixado levar. sobretudo tambem fui enganada e vitima de alguem ki só keria uma farra. Mesmo ele tendo dito muitas vezes ki eu nao era uma farra, mas eu fui. O sms foi bem claro ao dizer ki a brincadeira tinha perdido a gra. Eu fui a brincadeira da vez. Uma brincadeirapenas...

Eu me perdi, perdi você
Perdi a voz, o seu querer
Agora sou somente um,
Longe de nós, um ser comum

Agora eu sou um vento só a escuridão
Eu virei pó, fotografia, sou lembrança do passado
Agora sou a prova viva de que nada nessa vida
É pra sempre até que prove o contrário

Estar assim, sentir assim
Um turbilhão de sensações dentro de mim
Eu amanheço eu estremeço eu enlouqueço
Eu te cavalgo embaixo do cair
Da chuva eu reconheço

Que Estar assim, sentir assim
Um turbilhão de sensações dentro de mim
Eu me aqueço, eu endureço, eu me derreto,
Eu evaporo e caio em forma de chuva, eu reconheço
Eu me transformo 


http://www.vagalume.com.br/paula-fernandes/sensacoes.html#ixzz23pUMNzuY

terça-feira, agosto 14, 2012

Saudade


Saudade ...



Saudade ... palavra mais usada nos poemas, nos momentos de solidão ou quando vem aquela lembrança de quem já foi. Aquela saudade de quem deixou um vazio enorme, às vezes ele nem foi, está ali vivendo em um lugar tão pertinho e você nem pode estar ao lado, por muitos motivos, infinitos talvez.

Saudade ... esse sentimento abstrato, que dói, e mesmo não podendo ser tocado a gente tem uma vontade tão grande de arrancar quando ela aperta. Acho que todo mundo já sentiu uma saudade dessa, essa saudade que machuca, que te faz ouvir aquela música e é nessa hora que suas lembranças mergulham profundamente na danada da saudade ...

Saudade de qualquer coisa ... do beijo, de olhar a boca sussurrando palavras que pra você não significam nada naquele momento, das mãos acariciando, do olhar quando fazia amor, das conversas, dos sorrisos que eram vistos quando os corpos se encontravam mesmo que vestidos. Saudade dos corpos entrelaçados um ao outro, dos corações batendo forte, da pele quente, do suor que passeava pelo corpo. Que saudade!

Saudade das brigas, dos momentos de paz e silêncio, do amor, da aflição pra esperar chegar ... que saudade danada.
Saudade que a gente sabe que vai acabar quando tudo se encontrar nem que seja por um momento, aquele que esperamos às vezes por dias, semanas, meses, anos.

Saudade do filho ... das gargalhadas, das brincadeiras, das aventuras, estripulias, dos choros e dos dengos ...

Saudade, este sentimento que ensina tanto, ensina que devemos ser controladores, pacientes, esperançosos, respeitadores.
A saudade ensina muito, se você não aprendeu é porque ainda não sentiu saudade de alguém que fosse especial, mas um especial diferente, um especial que te desse tudo e depois tirasse tudo só pra você sentir a tal da saudade.

Acostumar com a saudade é que deve ser difícil, a gente até consegue controlar, mas quando encontra não mata o suficiente.

A saudade parece resistente quanto mais tempo passa dentro do peito mais protegida ela fica, talvez seja por isso que causa tanta dor, se o eterno existisse ele seria a cura pra a saudade, mas como não ... a gente vai se acostumando e aprendendo com a saudade. Se quem inventou a tal distância soubesse como dói a saudade ...  Ah! essa saudade.

segunda-feira, agosto 13, 2012


Essa é uma homenagem à turma de cabelos brancos.


Um jovem muito arrogante, que estava assistindo a um jogo de futebol,
tomou para si a responsabilidade de explicar a um senhor já maduro,
próximo dele, porque era impossível a alguém da velha geração entender
esta geração.
"Vocês cresceram em um mundo diferente, um mundo quase primitivo!", o
estudante disse alto e claro de modo que todos em volta pudessem
ouvi-lo.
  "Nós, os jovens de hoje, crescemos com Internet , celular ,
televisão, aviões a jato, viagens espaciais, homens caminhando na Lua,
nossas espaçonaves tendo visitado Marte. Nós temos energia nuclear,
carros elétricos e a  hidrogênio, computadores com grande capacidade
de  processamento e ....," - fez uma pausa para tomar outro gole de
cerveja.
  O senhor se aproveitou do intervalo do gole para  interromper a
liturgia do estudante em sua ladainha e disse:
  - Você está certo, filho. Nós não tivemos essas coisas quando éramos
jovens porque estávamos ocupados em inventá-las. E você, um bostinha
de merda  arrogante dos dias de hoje, o que está fazendo para a
próxima geração?

Foi aplaudido de pé !

Sobre sonhar com dentes

Tenho recebido inúmeros comentários sobre algum tipo de ajuda com relação à explicação em sonhar com dentes. Entendam que os dentes sã...