sexta-feira, junho 28, 2013

Declaração de amor de Brad Pitt a Angelina Jolie

(Foto: Getty Image)
Brad Pitt, 49, resolveu abrir o jogo sobre sua vida pessoal. Ele contou detalhes do casamento comAngelina Jolie, 38, e ainda revelou como eles superaram a difícil crise que chegou com a doença da atriz.


O ator escreveu um texto bastante emotivo para a revista americana "Identity Magazine", contando sobre as mudanças que ocorreram com a esposa quando ela ficou doente. A atriz emagreceu, estava nervosa, não queria trabalhar e descuidou de si mesma.
Brad ainda desabafou dizendo que achava que seu casamento terminaria. Foi então que ele decidiu tomar uma atitude e cuidar da sua mulher. A tentativa deu certo e ele afirmou que os dois estão mais unidos do que antes.
O galã está com Angelina há 8 anos. Eles são pais de seis filhos: Maddox, 11, Pax, 9, Zahara, 8,Shiloh, 7, e os gêmeos Knox e Vivienne, 4.
Leia na íntegra, o texto que foi publicado no Facebook da revista:
"Um Segredo de Amor
Minha esposa ficou doente. Constantemente ela estava nervosa por causa de problemas no trabalho, na vida pessoal, seus erros e problemas com os filhos. Ela perdeu 13 quilos e pesava cerca de 40 quilos aos 35 anos.
Ela ficou muito magra e estava constantemente chorando. Não era uma mulher feliz. Ela sofria de contínuas dores de cabeça, dor no coração e tensão muscular nas costas. Ela não dormia bem, conseguia pegar no sono apenas na parte da manhã e ficava cansada rapidamente durante o dia.
Nosso relacionamento estava a ponto de acabar. A beleza dela estava deixando-a. Ela tinha bolsas sob os olhos, cabelos desgrenhados. Ela parou de cuidar de si mesma. Se recusou a fazer filmes e rejeitou cada papel. Perdi a esperança e pensei que iríamos nos divorciar em breve...
Foi então que eu decidi agir. Afinal, eu tenho a mulher mais bonita do planeta. Ela é a mulher ideal para mais da metade dos homens e mulheres da Terra, e eu o único que tinha permissão para dormir ao seu lado e abraçá-la. Comecei a mimá-la com flores, beijos e muitos elogios. Surpreendia-a e tentava agradá-la em todos os momentos. Enchi-a de presentes e comecei a viver apenas para ela. Só falava em público a seu respeito e relacionava todos os assuntos a ela, de alguma forma. Elogiei-a a sós e em frente a todos os nossos amigos.
Vocês podem não acreditar, mas ela começou a renascer, a florescer… Tornou-se ainda melhor do que era antes. Ganhou peso, parou de ficar nervosa e me ama ainda mais do que antes. Eu nem sabia que ela podia amar tão intensamente.
E então eu percebi uma coisa: 'A mulher é o reflexo de seu homem'
Brad Pitt".

terça-feira, junho 18, 2013

Areias do tempo

“Dizem que algumas vidas estão ligadas através dos tempos. Ligadas por um antigo chamado que ecoa através dos tempos.”

segunda-feira, junho 10, 2013

Renato Russo e sua sabedoria


Uma vez Renato Russo disse com uma sabedoria ímpar: "Digam o que disserem, o mal do século é a solidão". Pretensiosamente digo que assino embaixo sem dúvida alguma. Parem pra notar, os sinais estão batendo em nossa cara todos os dias. Baladas recheadas de garotas lindas, com roupas cada vez mais micros e transparentes, danças e poses em closes ginecológicos, chegam sozinhas. E saem sozinhas. Empresários, advogados, engenheiros que estudaram, trabalharam, alcançaram sucesso profissional e, sozinhos. Tem mulher contratando homem para dançar com elas em bailes, os novíssimos "personal dance", incrível. E não é só sexo não, se fosse, era resolvido fácil, alguém duvida? Estamos é com carência de passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe, essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega. Pode fazer tudo, desde que não interrompa a carreira, a produção. Tornamos-nos máquinas e agora estamos desesperados por não saber como voltar a "sentir", só isso, algo tão simples que a cada dia fica tão distante de nós. Quem duvida do que estou dizendo, apenas recorde-se do site de relacionamentos "Orkut", o número que comunidads como: "Quero um amor pra vida toda!", "Sou pra casar" ou até a desesperançada "Nasci pra ser sozinho!". Unindo milhares, ou melhor, milhões de solitários em meio a uma multidão de rostos cada vez mais estranhos, plásticos, quase etéreos e inacessíveis. Vivemos cada vez mais tempo, retardamos o envelhecimento e estamos a cada dia mais belos e mais sozinhos. Sei que estou parecendo o solteirão infeliz, mas pelo contrário, pra chegar a escrever essas bobagens (mais que verdadeiras) é preciso encarar os fantasmas de frente e aceitar essa verdade de cara limpa. Todo mundo quer ter alguém ao seu lado, mas hoje em dia é feio, démodé, brega. Alô gente! Felicidade, amor, todas essas emoções nos fazem parecer ridículos, abobalhados, e daí? Seja ridículo, não seja frustrado, "pague mico", saia gritando e falando bobagens, você vai descobrir mais cedo ou mais tarde que o tempo pra ser feliz é curto, e cada instante que vai embora não volta. Mais (estou muito brega!), aquela pessoa que passou hoje por você na rua, talvez nunca mais volte a vê-la, quem sabe ali estivesse a oportunidade de um sorriso a dois. Quem disse que ser adulto é ser ranzinza? Um ditado tibetano diz que se um problema é grande demais, não pense nele e se ele é pequeno demais, pra quê pensar nele. Dá pra ser um homem de negócios e tomar iogurte com o dedo ou uma advogada de sucesso que adora rir de si mesma por ser estabanada; o que realmente não dá é continuarmos achando que viver é out, que o vento não pode desmanchar o nosso cabelo ou que eu não posso me aventurar a dizer pra alguém: "vamos ter bons e maus momentos e uma hora ou outra, um dos dois ou quem sabe os dois, vão querer pular fora, mas se eu não pedir que fique comigo, tenho certeza de que vou me arrepender pelo resto da vida.
Antes idiota que infeliz!

sexta-feira, junho 07, 2013

visão espírita do filme O gladiador:


visão espírita do filme O gladiador:

O filme o Gladiador (5 Oscar) maravilhoso e interessante, pela ousadia do diretor mostrando que acreditar em reencarnação antes de Cristo já era uma realidade dentro da crença romana, pois somente depois de Constantino, 300 anos DC mais ou menos, foi quem retirou essa crença dos então Cristãos, hoje denominados de católicos, tendo começado essa confusão que vemos e temos até hoje. 
Muitos detalhes podem ser visto no filme eis a relação de alguns: 
Crença nos ancestrais cultuavam imagem, oração profunda (não repetitiva), mediunidade, pois, ele ouvia o filho lhe chamar, dedicação, lealdade, determinação e amizade. 
Também alguns fatos curiosos como cheirar a terra, há uma explicação do porque desse fato, quando ele toca o chão pega um pouco de terra cheira e passa na mão. Quando chegamos em um lugar tocamos a mão no chão e pedimos permissão para usufruir a energia do local sem invasão, pedimos para os guardiões para nos dar ajuda, são os construtores, mas, na verdade são os donos do local, ou melhor, ainda, o Ser Elemental que dá forma ao local. 
E o cheiro é para sentir a freqüência ou vibração, dependendo do dono para identificar sua energia se é conhecida ou não. 
Outro fato curioso foi às larvas para cicatrizar as feridas, técnica essa que vem sendo estudada hoje por alguns médicos e cientistas. 
Uma fotografia do filme maravilhosa, principalmente as paisagens que aparece, uma trilha sonora muito bonita e mantrica muito bem feita e arranjada. 
E o enredo romântico de amor de família então nem se fala... 
Curiosidade: ROMA ao contrário AMOR...

sábado, junho 01, 2013

Aniversário

Faz tempo que não falo. Não me expresso. Eis-me aqui novamente.
De novo é próximo o meu aniversario. Quatro de junho. Data ruim no Brasil. Nunca posso comemorar com alguém porque alegam que não receberam, que não têm dinheiro e bla, bla, bla. Isso cansa.

Poucos foram os aniversários realmente bons. Quando fiz 19 anos, esse sim foi bacana. Passei na cidade que eu nasci. Fiquei na casa dos meus tios e fui a um restaurante com meu outro tio e a namorada. O garçom me deu um guardanapo de papel com um nome e telefone de alguém que queria me conhecer. Era o dono. Tá guardado até hoje na página do dia quatro de junho da agenda que eu escrevi um diário. Ganhei tantos presentes e quando cheguei a  casa, minha cama estava repleta de vários presentes. Nunca vou me esquecer.

Teve os de 26 anos. Eu tinha anorexia. Estava sofrendo por amor. O Eder, namorado da época, ou ex, porque ele tinha terminado comigo, me deu algo que eu pensei nunca ganhar na vida. Eu também nunca vou me esquecer desse ano. Ele me deu um buquê de rosas azuis. É certo que essas rosas não existem, mas ele se lembrou do que eu tinha dito, sobre o filme da rosa azul, que era símbolo de amor infinito e verdadeiro. As rosas eram brancas, pintadas de azul. Ele disse que a florista não tinha pronta e fez na hora, por isso ficou manchada. Foi um dos poucos gestos mais lindos que alguém fez a mim.

Aniversário de seis anos foi a única festa de aniversário com convidados e bolo. Teve algumas pessoas, mas nenhuma foto para relembrar. Naquela época máquinas fotográficas não eram tão baratas. Minha avó era viva. Minha mãe só ouvia Elvis Presley. O LP dos três patinhos e balão mágico era a trilha sonora. Acho que nunca mencionei isso a ninguém.

Aos 12 anos ganhei mais um relógio de pulso do meu pai. Durante cinco canos seguidos ele só me dava relógios. Eu os tenho ainda. Não funcionam. Eu tinha um namorado nessa época. O Edmar. Ele tinha 15 anos. Era o garoto mais bonito de Buarque, mas eu não gostava dele. A gente nunca se beijou. Ele me deu um porta jóias. De início pensei  que fosse uma caixinha de música, objeto que eu sempre quis ter, mas nunca ganhei. Ainda vou comprar uma. E o presente dele, tenho ainda hoje. Naquela época eu o odiava. Eu sempre apanhava quando ele ia embora. Minha mãe me surrava por motivos inglórios. Ainda penso porque ela agia assim. Eu não merecia. (ou merecia?)

Aos 30 anos. Não é um simples número. A coisa é meio louca mesmo, pergunte a todo mundo que passou por essa idade. É uma coisa meio adulta. Um tal de querer deixar de fazer coisas porque não combinam mais com a idade, ou um querer fazer coisas que ainda não fez. É como ser a idade da responsabilidade. Mas depois que você passa por ela (rs), você quer ter sempre 28 anos.  Passei na Privilege, com a Lilian . minha amiga desde os 20 anos. Pensei que seriamos amigas para sempre. Uma coisa tão pequena acabou com a amizade.

20 anos. Desse eu me lembro. É um número bonito. Eu gostava mesmo de ter 20 anos, mas parecia ter 14. Todo mundo me barrava nos lugares achando que eu era menor. Como sempre, ninguém tinha dinheiro. Minha mãe comprou um bolo pequeno, bem pequeno, desses que cabe em uma mão. Algumas pessoas, inclusive Lilian, Heriquessandro, Davi e outros mais foram cantar o tal “parabéns”. Assim que acabou, Davi, namorado da minha irmão na época, pegou o bolo e jogou na minha cara. Nossa. Nem tive reação. Só olhei pra cara da minha mãe que tinha comprado o bolo com dinheiro emprestado, sem poder comer um pedaço sequer. Ah, Davi não parou ai. Colocou pelo menos uns três ovos nas minhas calças e me chutou. Foi um aniversário bem sujo, aquilo custou a sair de mim. Fui tia nesse ano.

Eu podia falar de quase todos, mas não é o caso hoje. Quando fiz 37 ... ( parei por alguns segundos agora; a cena me veio à cabeça). Obs: A verdade é que eu parei mesmo mais do que alguns segundos antes de terminar esta postagem. É certo que comecei a escrever no dia primeiro, mas hoje já é dia 08 e levei na verdade alguns dias, inclusive até passou o dia quatro.

Então dando continuidade aos 37 anos... esse foi diferente. Eu ainda estava com o Gabriel, mas não parecia que ele era meu namorado. Eu não gostava dele a ponto de estar apaixonada, o Cássio era quem não me saía da cabeça. Gabriel me deu um presente, que eu pensei que seria uma aliança de compromisso, mas na verdade foi um colar e um par de brincos com pingente de coração. A mãe dele me deu um desses porta jóias de papel, com espelho em forma de caixa com gavetinha. A Thaila, um porta retrato de bichinho. Como o carro do Gabriel tava quebrado, restou ficar em casa. Fiz o meu prato com pão de forma. Uma das poucas coisas diferentes que eu sei fazer na cozinha. A Cleusa comprou um bolo. não foi de todo ruim.


Finalmente os 38 anos.
Uau! Este número remete a uma arma de fogo que eu bem vou usar em breve.
Este ano começou estranho.
No dia 22 de março o meu facebook foi invadido por nada mais que Gabriel. O que isso faz ele sentir-se bem, não sei. Só sei que ele é um bosta.
Com tanta coisa acontecendo e à quantidade de viagens que eu tenho feito por causa dos concursos, quase me esqueci que o meu aniversário estava próximo. Na verdade nem to mais aí pra essa coisa de idade. Nunca ganho presente mesmo. Este ano nem teve, igualzinho aos outros.Sequer um bolo.
A Tainara foi comigo ao centro da cidade, comemos no McDonald's, torta de morango e chocolate assado na Vó sinhá. Um pedaço pra cada uma. Que delícia! Depois fomos ao cinema assistir Se beber não case III.   Rose e família tb foram. A promoção de 2,00 o cinema acabou. Paguei 15,00. A vida não tá fácil pra ninguém...kkkk.

E esta sou eu com minha idade nova!
( fala sério, to a cada dia melhor...rs)

Sobre sonhar com dentes

Tenho recebido inúmeros comentários sobre algum tipo de ajuda com relação à explicação em sonhar com dentes. Entendam que os dentes sã...