terça-feira, setembro 30, 2014

Cavalos canibais

Dois ecologistas flagraram uma ação um tanto inesperada nos Alpes Australianos no mês passado. Don Driscoll e Sam Banks estavam realizando uma missão em um acampamento no Parque Nacional de Kosciuszko e viram alguns cavalos selvagens comendo as entranhas de outro da mesma espécie que estava morto na neve.
Segundo Don disse ao Daily Mail, os cavalos pareciam famintos e se “converteram” ao canibalismo. A falta de alimento na região gélida e coberta de neve pode ter levado os animais a cometerem esse tipo de ação, pois nunca foram registrados cavalos carnívoros antes.  
Os ecologistas viram antes apenas o cavalo morto, que tinha um enorme buraco em seu abdômen, enquanto seguiam no caminho para uma colina do parque nacional, que fica localizado entre New South Wales e Victoria.
“Os intestinos estavam para fora. Mas não estava claro o que poderia ter causado o dano. Eu não tinha ideia do que poderia ter feito isso”, disse Don, que é ecologista da Universidade Nacional Australiana.
Apenas no dia seguinte que a dupla de ecologista descobriu o que aconteceu, quando eles retornaram da colina e viram três cavalos famintos perto do seu semelhante morto. Dois deles estavam com os focinhos enfiados dentro da cavidade abdominal do equino morto. "Eles estavam comendo o que restava das entranhas. Obviamente estavam morrendo de fome", contou Don.  
Quando os pesquisadores chegaram mais perto, os animais fugiram. Os cavalos são herbívoros, mas o especialista acredita que eles foram obrigados ao canibalismo por chegarem ao limite da fome. “Acho que tempos desesperados exigem medidas desesperadas no mundo dos cavalos", teorizou o ecologista.
Os cientistas escreveram em um relatório acadêmico que tal comportamento nunca havia sido documentado antes. Driscoll disse ainda que o número de cavalos selvagens no Parque Nacional Kosciuszko aumentou exponencialmente, o que também pode contribuir para o canibalismo. Atualmente, está em processo de estudo uma forma de minimizar o problema.

Tanques de guerra

O site American Heroes Channel publicou uma lista dos dez melhores tanques da História. A eles, juntamos um modelo que foi apontado pelos leitores como uma omissão: o moderníssimo blindado alemão Leopard 2 A7+.
Para o site, o melhor tanque de todos os tempos é o soviético T-34, que serviu na Segunda Guerra Mundial. Tem ótimo poder de fogo, mobilidade e proteção, mas sua maior característica é a facilidade de produção.
Os tanques foram introduzidos pela primeira vez pelos franceses no final da Primeira Guerra Mundial. Na Segunda Guerra, foram uma das principais forças nos campos de conflito. A Batalha de Kursk foi o maior confronto registrado entre tanques de guerra.
Acompanhe a lista dos melhores tanques de todos os tempos:

11 - M-4 Sherman (EUA)


Embora tenha pouco poder de fogo e proteção, o tanque americano ganha pontos pela facilidade de produção. Introduzido em 1942, 48 mil unidades foram produzidas em três anos.

10 - Merkava (Israel)


Esse tanque de 1977 tem como principal vantagem a blindagem. Porém, o peso tira pontos da mobilidade. A construção do tanque é complexa, mas seu poder de fogo o torna imponente no campo de batalha.

9 - T-54/55 (União Soviética)


É apenas mediano em poder de fogo, mobilidade e proteção, mas sua facilidade de produção o torna uma ameaça que não pode ser ignorada (95 mil unidades foram fabricadas).

8 - Challenger (Reino Unido)


O tanque inglês ganha pontuação máxima pelo canhão rifle de 120 mm. A blindagem também merece destaque, mas o veículo sai perdendo na mobilidade e facilidade de produção.

7 - Mk IV Panzer (Alemanha)


Foi um demônio nos primeiros anos da Segunda Guerra Mundial. Tem boa armadura e poder de fogo, mas, como todos os tanques alemães, tinha uma construção complexa.

6 - Centurion (Reino Unido)


Sua blindagem de até 152 mm o coloca como um dos mais protegidos tanques de sua categoria. Também ganha pontos pelo poder de fogo e facilidade de produção, mas a mobilidade é apenas mediana.

5 - WWI Tank (Reino Unido)


Produzido em 1917, foi um dos primeiros tanques introduzidos no campo de batalha. Suas especificações técnicas não impressionam, mas poucos tinham essa máquina de guerra.

4 - Tiger (Alemanha)


Foi um dos tanques mais temidos da Segunda Guerra Mundial por seu poder de fogo e proteção. Seu único problema era a dificuldade de fabricação.

3 - M-1 Abrams (EUA)


De 1983, é um dos mais poderosos tanques já feitos. Tem excelente poder de fogo e blindagem. Mas também é uma máquina complexa e cara.

2 - Leopard 2 A7+ (Alemanha)


É um dos mais modernos do mundo, com boa proteção contra lança-granadas-foguete. Ele oferece precisão maior para tiros de longa distância devido a um sistema avançado de mira. Tem motor de 1.500 HP.

1 - T-34 (União Soviética)


O melhor tanque de todos os tempos é praticamente perfeito em todos os quesitos e considerado o mais efetivo e influente da Segunda Guerra Mundial.

Menção honrosa - EE-T1 Osório


O tanque brasileiro foi considerado o favorito numa concorrência aberta pela Arábia Saudita, vencendo até mesmo o M1 Abrams americano, mas perdeu a disputa por questões políticas e apenas dois protótipos do tanque foram produzidos.

Odontologia há cinquenta anos

Se você acha que ir ao dentista hoje, com toda modernidade ao dispor, é ruim, talvez tenha que rever os conceitos depois de ver o que se usava no passado.
Sem as brocas a motor e as anestesias, o processo de fazer buracos nos dentes provavelmente era lento e doloroso (todos os instrumentos eram manuais).
Se os alicates já provocam calafrios, o que dizer dos martelos usados para rachar os dentes ou do cinzel que era enfiado na gengiva a fim de extraí-los. Sem falar na tal "podadeira" francesa, que consistia em apertar a gengiva, na altura da raiz, até o dente sair. Pense nessas coisas antes de fugir da sua próxima consulta.
Veja alguns dos instrumentos de dentista usados no passado:

1 - Fórceps com broca (1848)


As pontas eram travadas dentro da boca para que a broca pudesse chegar à raiz com mais efetividade.

2 - Broca de corda (1875)


Essa foi uma das primeiras brocas de funcionamento contínuo (quer dizer, até que a corda acabasse).

3 - Fórceps dentário (Séc. XVII)


Olha o que se usava para arrancar dentes nos anos 1600.

4 - Pelicano (Séc. XVII)


Usado desde o século XV, esse instrumento servia para extrair dentes.

5 - Broca de arco (7000 a.C.)



Parece algo para fazer fogo, mas foi adaptada para funcionar como uma broca.

6 - Espéculo bucal (Séc. XVII)


Servia para manter a boca dos pacientes aberta.

7 - Broca de dedo (anos 1870)


É composto de um anel e um suporte para a broca, que é rotacionada com os dedos.

8 - Wilcox-Jewett Obtunder (1905)


Era usado para injetar nas gengivas substâncias anestésicas (usualmente cocaína).

9 - Dental Key (anos 1810)


Essa espécie de martelo servia para quebrar os dentes para depois extraí-los.

10 - Mordaça (Séc. XVI)


Servia para abrir a boca de indivíduos com mandíbula travada.

11 - Cinzel de ossos (anos 1780)


Esse negócio era enfiado na gengiva e arrancava os dentes através do movimento de alavanca. Socorro!

12 - Podadeira (anos 1810)


Invenção dos franceses, esse instrumento consistia em apertar a gengiva abaixo dos dentes até arrancá-los.

13 - Tongue Ecraseur (anos 1850)


Isso era usado para estrangular partes da língua infectada para depois cortar com uma faca.

14 - Goat's Foot Elevator (Séc. XVIII)


Usava-se para "amolecer" os dentes antes de serem arrancados.

15 - Dental Phantom (anos 1930)


Parece um alien, mas é um modelo usado para os dentistas praticarem suas técnicas.

Curiosidade dos minerais

No mundo moderno em que vivemos, os minerais preciosos são usados em praticamente tudo. Além do ouro e da prata — dois dos mais conhecidos —, ainda existem diversos outros, como o mercúrio ou o quartzo, por exemplo. A lista desses elementos é imensa e cada um deles tem o seu jeito de encantar as pessoas.
Porém, no meio desses elementos, encontram-se os materiais mais tóxicos conhecidos pela ciência. Eles podem até ser lindos, mas já comprovou-se, ao longo dos anos, que são muito perigosos e já foram até mesmo retirados da produção industrial. Confira com a gente uma lista com 9 minerais preciosos altamente destrutivos.

01 — Cinnabar (HgS)

Esse é o sulfeto de mercúrio, mais conhecido como Cinnabar. Ele tem sido a nossa principal fonte de mercúrio elementar desde os primórdios da civilização humana e é frequentemente usado como pigmento para cerâmica e tatuagens, além de ser empregado em equipamentos científicos como termômetros e barômetros, bem como uma série de aplicações industriais pesadas.
Porém, quando oxidado, esse elemento produz metil-mercúrio e dimetil-mercúrio, dois compostos tóxicos que causam danos irreparáveis para o sistema nervoso das crianças. É mortal em pequenas concentrações e pode ser absorvido através das vias respiratórias, intestino e pele. Devido a isso, quase todos os setores já eliminaram sua utilização ou estão em processo de exclusão.

02 — Pirita (FeS2)

Ambos enxofre e ácido sulfúrico são usados em toda a indústria. O enxofre pode ser encontrado em tudo, desde jogos e pneus até fungicidas. O ácido sulfúrico é um componente vital de muitos pigmentos. A Pirita, mineral composto por ferro e enxofre, é o único elemento capaz de obtê-los.
Isso levou a grandes esforços de mineração de Pirita que, por sua vez, levou a danos ambientais devastadores. Além disso, ela entra em combustão espontânea quando misturada a camadas de carvão e exposta ao ar, liberando metais altamente tóxicos na atmosfera, como o arsênio.
A Pirita não é mais comercialmente minerada depois que descobriu-se que o enxofre pode ser facilmente coletado como um subproduto do gás natural e de processamento de petróleo para esse fim. Hoje, ela é raramente escavada e não é retirada a não ser que seja usada como peça de amostra.

03 — Fluorita (CaF2)

Essa linda pedra verde é a Fluorita. Composta por fluoreto de cálcio, ela é encontrada juntamente com outros minérios, como ferro, carvão e cobre. A pedra pode ser usada na fundição e é frequentemente vista em joias e lentes de telescópios. Quando misturada com ácido sulfúrico, ela produz fluoreto de hidrogênio, um importante precursor químico industrial.
No entanto, a Fluorita pode ser perigosa para quem tem contato direto com ela. O mineral contém flúor, que pode ser absorvido pelos pulmões se estiver na forma de pó. Uma vez no organismo, ele provoca a fluorose, uma doença dolorosa que enfraquece ossos e articulações, causando sérios danos ao esqueleto.

04 — Quartzo (SiO2)

Da indústria ótica e eletrônica para abrasivos, o Quartzo é o segundo mineral mais comum da Terra e o primeiro mais utilizado pela humanidade. O seu valor como incendiário é usado na atividade de mineração há muitos anos. Cristais de quartzo são componentes onipresentes em rádios e relógios eletrônicos.
Porém, ele não pode ser moído e inalado, a menos que você queira desenvolver silicose, uma doença respiratória caracterizada por pulmões e gânglios linfáticos inchados, que tornam a respiração difícil. Normalmente, isso só ocorre após cerca de 20 anos ou mais de exposição, mas pessoas atingidas já podem sentir os sintomas em menos de 5 anos.
O Quartzo também pode causar câncer de pulmão, uma vez que esta doença está intimamente associada com determinadas indústrias, como a de mineração, abrasivos e até mesmo fabricação de vidro.

05 — Galena (PbS)

Os romanos usavam a Galena para tudo, desde tubos até tinturas e alimentação. Mas nela encontra-se o chumbo, frequentemente usado em pilhas, balas e blindagem de alta tecnologia, como cobertores de raio-X e caixas de reatores nucleares, além de aditivo para tintas e gasolina e também solução de armazenamento de produtos químicos corrosivos.
Ela não é tão má quanto o mercúrio, que mata imediatamente, mas o chumbo não é liberado pelo organismo. Ele se acumula ao longo dos anos, atingindo níveis tóxicos muito altos. O preço a se pagar é muito alto, pois o chumbo é cancerígeno e causa graves defeitos congênitos.

06 — Phenacite (BeSiO4)

A Phenacite é extraída como uma pedra preciosa e contém um alto teor de berílio, que era um precursor para muitos materiais cerâmicos, até as pessoas descobrirem que a inalação do pó desse mineral causava a doença de berílio. Ela é como a silicose, porém, muito mais grave e também crônica.
Não há cura para essa doença. Uma vez que você a tem, isso é para a vida inteira. O que acontece é que os pulmões se tornam altamente sensíveis ao berílio, o que provoca uma reação alérgica nos pequenos nódulos chamados granulomas. Eles tornam a respiração extremamente difícil e instigam doenças como a tuberculose.

07 — Erionite Ca3K2Na2[Al10Si26O72].30H2O (Z = 1)

Erionite é um membro da família de zeólito, uma classe de silicatos minerais fibrosos frequentemente usados como peneiras moleculares devido à sua capacidade de filtrar seletivamente as moléculas específicas a partir de líquidos e da atmosfera.
Ele é encontrado em cinzas vulcânicas e utilizado como catalisador para a dopagem de metais nobres. Ele se parece muito com minerais de amianto e causa danos aos humanos, como a mesotelioma, uma doença que acaba resultando em câncer maligno de alta periculosidade. A mineração desse material cessou no final de 1980.

08 — Hidroxiapatite (Ca 5 (PO 4) 3 (OH))

O fósforo do fertilizante do seu jardim e o flúor da água da torneira muito provavelmente veio de uma pedra como esta, chamada Apatita. Estes minerais fosfatos vêm em várias variedades, cada um contendo níveis elevados de OH, F, Cl ou íons de hidroxiapatite, que previne as cáries.
Ter dentes fortes e saudáveis com certeza é uma boa coisa, mas a exposição a hidroxiapatite, seja pela mineração ou processamento, vai depositar esses minerais em suas válvulas cardíacas, petrificando-as.

09 — Crocidolite (Na2 (Fe2 +, Mg) 3Fe3 + 2Si8O22 (OH) 2)

Diga olá para o material mais perigoso do mundo. Crocidolite, mais conhecido como amianto azul, já foi amplamente utilizado para uma variedade de aplicações comerciais e industriais, graças à sua força e resistência ao fogo, em telhas e materiais de cobertura de pavimentação, além de isolamento térmico.
Em 1964, o Dr. Christopher Wagner fez uma ligação entre o amianto e a mesotelioma, constatando que o mineral desenvolvia a doença de forma muito grave. O mercado para esses produtos desapareceu e as estruturas de amianto já não vêm sendo mais produzidas.

O genial Da Vinci

A genialidade de Leonardo da Vinci é uma unanimidade, e as habilidades do italiano, como todos sabem, não se limitavam apenas à pintura e à escultura. Além de ter criado obras-primas como “Mona Lisa”, “Dama com Arminho” e “A Última Ceia”, o florentino também se destacou como anatomista, cientista, arquiteto, poeta, matemático, músico, botânico e inventor.
Aliás, muitos inventos do mestre podem ser vistos em interessantes desenhos — datados dos séculos 15 e 16! —, nos quais é possível vislumbrar mecanismos e tecnologias que só foram surgir muito, muito tempo depois. Entre eles, para citar alguns, existem protótipos de calculadora, tanques de guerra, helicópteros e outras máquinas voadoras, assim como conceitos sobre o uso da energia solar e até teorias rudimentares sobre a tectônica de placas.
Abaixo você pode conferir 15 desenhos do gênio selecionados a partir do site the drawings of Leonardo da Vinci — você pode visitar a coleção completa através deste link —, e que abrangem algumas das áreas pelas quais o artista se aventurou:

1 – Braços

 

2 – Fisiologia cerebral

 

3 – Crânio

 

4 – Homem

 

5 – Esqueletos

 

6 – Anatomia de ombro e pescoço

 

7 – Felinos

 

8 – Estudo de Leda

 

9 – Prisioneiro

 

10 – Santa Ana

 

11 – Artilharia

 

12 – Dispositivo de guerra

 

13 – Asas

 

14 – Máquina voadora

 

15 – E não podia faltar...

 
Homem Vitruviano Fonte da imagem: Reprodução/the drawings of Leonardo da Vinci