sábado, março 31, 2012


Há Vozes em Mim !

DEFINIR É LIMITAR ! Sim, é isso mesmo! Assim como a natureza pende para o outono, também o outono começa em mim e em torno de mim. As folhas da minha alma vão amarelecendo, enquanto as folhas da árvores vizinhas caem.

quarta-feira, março 28, 2012


Fim do google de papel

Quem tem mais de 30 e nunca fez uma pesquisa escolar na Enciclopédia Britannica que levante a mão. Aposto que praticamente ninguém. Depois de mais de 200 anos de circulação, a editora responsável por aqueles inúmeros volumes (pra minha infância, ícones do saber, sonho de consumo) anunciou o fim da edição impressa, responsável hoje por apenas 1% das vendas da empresa.

Para quem ainda acha a Enciclopédia Britannica mais confiável que o Google, fica a versão digital, disponível desde 1994. 



O TRANSPLANTE DE ROSTO MAIS DIFÍCIL



Um rapaz de 37 nos Estados Unidos passou por uma cirurgia de 36 horas na qual recebeu um transplante de rosto que se estendia desde o fio do cabelo ao pescoço.
Richard Lee Norris, de Hillsville, estado da Virginia, foi submetido ao procedimento cirúrgico que incluiu a substituição da mandíbula, um conjunto completo de dentes, da língua e do pescoço. A cirurgia substituiu boa parte do rosto do paciente, exceto os olhos e parte da sua garganta.
Ele é o paciente número 23 no mundo a receber um transplante de rosto. Os médicos do Centro Médico de Traumatologia R. Adams Cowley, da Universidade de  Maryland,  disseram que foi a mais longa cirurgia desse tipo, devido à extensão da área de tansplante e da colocação de um conjunto completo de dentes.
A operação começou às quatro da manhã de 19 de março e terminou no dia seguinte entre duas e três da tarde.
“O rosto é parecido com uma mistura do rosto de Richard e dos doadores”, disse Dr. Eduardo D. Rodriguez, professor de cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland. ”Há algumas características únicas, nariz e queixo, que foram substituídos na sua totalidade. Fora isso, é uma combinação de ambos os indivíduos”, disse ele.
O hospital não divulgou detalhes sobre o doador anônimo, a pedido da família, que deu seu consentimento para o procedimento de transplante. Além disso, seu coração, pulmões, fígado e rins eram outros órgãos usados para salvar as vidas de outros cinco pacientes, de acordo com o hospital.

Inspiração: de onde vêm as boas ideias.


Shutterstock
Na antiguidade clássica, as grandes descobertas – para não dizerinovações – eram creditadas às musas. Filhas do todo-poderoso Zeus e da titânide Mnemósine, as nove divindades simbolizavam a inspiração – aquele estalo criativo que leva os homens a criarem as coisas que não haviam sido imaginadas por seus pares. Com o racionalismo da idade contemporânea, a tecnologia da era pós-industrial e a recente revolução digital, a inspiração tornou-se mais uma figura poética do que um estado de espírito a ser alcançado. Uma grande invenção não mais é vista como o resultado de uma experiência transcendental de criação, mas sim o fruto de um processo lógico de encadeamento de ideias, em que o lado místico da inspiração não tem espaço algum.
Mas não é que a inspiração existe e é importante para os negócios. Pelo menos é o que diz uma série de estudos recentes sobre o assunto. Talvez ela não venha da generosidade das musas, mas ocorre de processos psicológicos que não podem ser mensurados aritmeticamente nem descritos em manuais de produtividade. Embora continue sendo um termo abstrato, especialistas afirmam que a inspiração pode ser ativada, capturada e manipulada por aqueles que entenderem seus processos psicológicos.
A inspiração é um estado de graça. Ela impulsiona a pessoa da apatia para a ação e transforma o jeito que percebemos nossas capacidades. Segundo os psicólogos Todd Trash e Andrew Elliot, da Universidade de Rochester, nos EUA, a inspiração tem três aspectos centrais: evocação, transcendência e abordagem positiva. Ela é evocada espontaneamente, sem intenção. É o clique característico de quando as boas ideias nascem. Transcendente porque a ideia inspirada suplanta as preocupações e limitações cotidianas e captura uma visão panorâmica e universal sobre o assunto. Essa transcendência é percebida nos momentos de clareza e consciência das novas possibilidades. A abordagem positiva, etapa final do processo, está na transmissão e implantação da ideia visionária. Os dois psicólogos notam que a inspiração é uma ferramenta com duas pontas: as pessoas são inspiradas pelas coisas e agem em cima dessa inspiração.
Apesar de ser vista como um cavalo que pode ser montado, a inspiração não pode ser imposta. Seria inútil um líder fazer pressão para que seus colaboradores fiquem inspirados. Segundo o neurocientista Scott Barry Kaufman, a inspiração simplesmente acontece. Pode ser por força de uma musa, porém o mais provável é que aquela baita ideia tenha nascido em um ambiente aberto a novas experiências, fruto da interação dos conhecimentos prévios com as informações recebidas do mundo. Não existe fórmula para inspiração. Mas, em certos ambientes, ela encontra um campo fértil. Nasce naqueles locais onde a liderança mostra os caminhos e espelha os exemplos, onde as pessoas inteligentes estão dispostas a fugir das convenções.
Para aumentar as chances de a inspiração ocorrer, algumas coisas podem ser feitas. Domínio do campo de atuação é o ingrediente básico. Nenhum poeta escreveu uma obra-prima sem conhecer bem o segredo das palavras. Esforço é outro elemento crítico, uma vez que inspiração é um processo trabalhoso, que compreende a análise e aprimoramento de diversas situações para validá-las ou descartá-las. Estar aberto a novas ideias e experiências é outro ingrediente importante, já que permite a pessoa perceber e embarcar na ideia quando a inspiração resolve aparece. Por último, a íntima relação entre motivação e inspiração nunca pode ser negligenciada. A inspiração tem mais a ver com a motivação interna. Muitas vezes está no lado oposto da competição, que induz à performance por meio de estímulos externos. “Pessoas inspiradas têm níveis mais altos de recursos psicológicos, como confiança nas próprias habilidades, autoestima e otimismo”, diz Scott Barry Kaufman.

Na primavera do ano de 1924 na cidade de Munique na Alemanha, um grupo de fanáticos nacionalistas tentaram destituir o poder local, tentativa essa fracassada oque veio a causar a morte e a prisão de seus membros.
Entre os que foram presos estava um jovem chamado Adolf Hitler, o homem que mudaria a rotina do mundo e se tornaria um dos homens mais importantes da historia.
Aproveitando o tempo livre na prisão, Hitler resolveu colocar suas idéias no papel e transformá-la em um livro, idéias essas que veremos agora.

O livro recebeu o titulo de Mein Kampf (Minha luta), nele Hitler resumiu suas idéias de supremacia germânica que nortearam as políticas nazistas, idéias essas que eram e ainda são tidas como a bíblia do Nazismo, onde se trata de forma bastante clara os princípios básicos do Partido Nacional Socialista Dos Trabalhadores Alemães (N.S.D.A.P). Ao ser elaborada a obra foi dividida em duas partes, sendo a primeira para falar sobre o inicio da vida política do autor e para fazer um esclarecimento de suas idéia em ralação a questões raciais, e a segunda parte para dar maiores esclarecimentos em ralação a parte burocrática e política dos nacionais socialistas.
Hitler inicia a obra descrevendo de forma obscura a sua infância em sua cidade natal Braunau No Inn, na Áustria, próximo da fronteira com a Alemanha. O autor fala sobre a sua paixão pela pintura e pela arquitetura, fala da sua complicada convivência com a figura paterna e da passionalidade de sua progenitora.
Pela vontade paterna Hitler deveria se transformar em funcionário publico, mais desde cedo ele já demonstrava ser totalmente adverso a funções publicas meramente teóricas. Após a morte de seus pais, Hitler partiu rumo a Viena, capital austríaca, em busca de seu de seu sonho de ser pintor.
Foi nessa cidade que Hitler conheceu os seus maiores inimigos, que eram o judaísmo, o parlamentarismo e o marxismo. Esta três doutrinas eram tão distintas uma das outras mais que Hitler insistia em juga-las com sendo pertencentes a um mesmo grupo, os judeus.
Hitler defendia que tanto a burguesia parlamentar quanto o proletariado marxista visavam um fim único para o germanismo, fim esse que era a sua total destruição. Durante boa parte do livro o autor critica a conduta internacionalista desses, conduta essa totalmente oposta a sua que era de cunho exclusivamente nacionalista e que visava uma união dos povos germânicos, alegando que um povo da mesma raça (o ariano) tem de viver em um mesmo país.
Depois de um período em Viena Hitler partiu para a cidade de Munique na Alemanha, aonde veio a passar por grandes dificuldades financeiras. Depois de dois anos no país e com a explosão da Grande Guerra Mundial, ele veio a se alista no exercito alemão sendo assim enviado a fronts germânicos exercendo o papel de mensageiro. Com o fim da guerra e a derrota da Alemanha, Hitler foi tomado por uma derrota gigante contra três grupos, que eram a imprensa, o marxismo e o judaísmo, segundo ele os maiores responsáveis pela derrota da Alemanha.
Contra a imprensa (novamente Hitler algo que não gosta a o judaísmo) ele alegava que ela incitava a covardia em sua população ao pregando o pacifismo enquanto os soldados lutavam no front. Segundo o autor isso desmotivou os soldados alemães em sua luta, por fazer com que eles julgassem como inútil lutarem por algo que seu próprio povo já não queria mais.
Contra os marxistas ele criticou o fato de durante a guerra, de forma oportunista e não patriótica eles terem tentado fazer uma revolução no país (revolução essa que veio causar a morte de Rosa Luxemburgo entre outros comunistas). Segundo Hitler essa tentativa de revolução veio por dividir corações e mentes do pais e vindo a desestabilizar o pais e causando um enfraquecimento no front.
Por fim, Hitler deixa de utilizar como intermédio o parlamento, o marxismo e a imprensa e passa a direcionar suas criticas diretamente ao judaísmo. Ele cita os judeus como sendo os principais responsáveis pela derrota alemã na Grande Guerra, alegando que eles boicotaram a guerra por ela estar causando prejuízo a seus negócios. Segundo Hitler, foram os judeus os responsáveis diretos pela rendição incondicional da Alemanha, agindo eles contra a vontade dos arianos.
Com o fim da guerra a Alemanha foi humilhada por um tratado pós-guerra chamado Tratado de Versalhes, onde ela perdeu vários territórios e o direito de constituir um exercito. Hitler ficou indiguinado com as penas impostas ao país.
Passado alguns anos Hitler veio a assistir a uma reunião de um pequeno grupo de fanáticos nacionalistas que estavam no principio de suas atividades políticas. Esse grupo viria a ser o Partido Nazista. Mesmo um tanto quanto contrariado Hitler veio por ingressar nesse partido. Ele tinha ficado contrariado pelo fato de que ele visava iniciar um novo partido e expor as suas idéias nele, e não aplicá-las em grupos já existentes e que supostamente poderia ter alguns vícios político-burocraticos ou influencias do judaísmo.
O autor cita as primeiras reuniões do partido e as tumultuadas brigas que ocorriam que ocorriam nela entre os seus membros e alguns membros de partidos marxistas. Essas brigas já tinham se tornado costumeiras e cada vez eram mais violentas, vindo sempre a terminar com pessoas internadas em hospitais com ferimentos graves. Devido essas brigas, os nazistas não tinham nenhuma segurança para as sua reuniões, visando isso Hitler veio a recrutar jovens e homens arianos com porte físico avantajado para fazer a sua guarda pessoal e a segurança das reuniões batizando-a de Guarda de Assalto. É dessa Guarda de Assalto que foi formada a Waffen – SS, que ficou conhecida mundialmente devido as suas barbáries, em especial contra os judeus, na Segunda Grande Guerra Mundial.
Hitler fez citações em relação a sindicatos. Mesmo sendo contra o marxismo e o classismo ele se colocou a favor dos sindicatos, aonde redirecionou a sua forma de pensar em ralação a ele. Hitler afirmava que os sindicatos não deveriam ser extintos mais sim reeducados, passando a visar não os interesses de classes sociais especificas mais sim os interesses do povo ariano como um todo.
O autor também escreve sobre possíveis alianças da Alemanha pós-guerra, afirmando que só seria possível a aliança de seu pais com o país da Itália e com o país da Inglaterra, aliança essa não por motivos ideológicos mais sim por terem um inimigo em comum, ou seja, a França.
Hitler gasta muitas paginas fazendo ofensas a França . Ele alegava que os franceses visavam invadir a Alemanha pelo oeste, junto ao rio Reno. Segundo ele isso era um perigo para o arianismo germânico devido ao surgimento de franceses com o tom da pele escuro, fruto de suas colonizações em solos africanos. Hitler alegava que esses negros sujariam o sangue dos arianos do oeste alemão. Ele também costumava se dirigir a os franceses classificando-os como um país africano no coração da Europa. Só que mais para frente Hitler acaba por mostra o verdadeiro motivo de seu ódio pela França. Era devido a uma resolução do polemico Tratado de Versalhes que destituiu o território de Tirol do Sul da nação alemã e o entregou aos franceses, oque veio a causar um ódio mórbido e uma frustração em Hitler.
O autor também cita o seu grande desprezo pelo país russo e pelo seu povo, alegando que por serem eles marxistas não eram dignos de confiança, tornando assim impraticável uma aliança com eles. Como sabemos, durante a Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler e o líder soviético Joseph Stalin assinaram um pacto de não agressão entre os países da Alemanha e da União Soviética (Rússia), acabando por assim entrar em contradição com oque havia escrito em seu livro.
No final do livro ele cita suas idéias em ralação a pequena dimensão territorial de seu país, alegando que as dimensões dos paises era fruto do acaso e que não era justo ao povo germânico a vivencia em um território tão diminuto enquanto os russos viviam em um território de dimensões gigantescas.
Foi com esse pensamento que Adolf Hitler iniciou a sua expansão territorial, expansão essa que veio a ser a grande causa da terrível Segunda Grande Guerra Mundial.

Nessa minha leitura do livro Mein Kampf, procurei dar mais ênfase aos aspectos políticos em vez das questões raciais por julgar que foram eles as causas mais influentes no processo de conduta do Partido Nazista, partido esse norteado por doutrinas dominantes e imperialistas, tendo como seu líder e mentor intelectual o megalomaníaco Adolf Hitler, um homem que visava dominar o mundo através da força e impor a todos o seu poder. Hitler não foi um gênio, Hitler não foi um louco, foi um ótimo orador que visou manipular uma nação inteira alegando interesses nacionais mais que visava somente seus interesses pessoais

terça-feira, março 27, 2012



Passando rapidinho só pra deixar um beijo pra cada um de vocês que me visitam...

Tiquetaquear


Eu queria poder definir o que estou sentindo, mas como se define um relógio usado e antigo que começou a tiquetaquear novamente? Depois de perder as teias e areia do tempo e deixar de viver na espera. A espera de alguém que irá colocá-lo para funcionar novamente. Como se explica? Eu não sei. Nem menos sei qual o nome para esse sentimento. Se possuir uma definição, eu prefiro que continue indefinível. Quero que o tempo faça de acordo com a sua vontade e que o destino o guie para a certeza de um sentimento bom. A única certeza que tenho é que um sorriso nasce quando te vejo. É como se o teu sorriso iluminasse o mundo. 

"E da mesma forma que o relógio tiquetaqueia em um ritmo constante, o meu coração começa a pulsar com intensidade novamente.

segunda-feira, março 26, 2012

Mile Davis



Miles Dewey Davis Jr (Alton26 de Maio de 1926 – Santa Monica28 de Setembro de 1991) foi um trompetistacompositor e bandleader de jazz norte-americano.
Considerado um dos mais influentes músicos do século XX, Davis esteve na vanguarda de quase todos os desenvolvimentos do jazz desde a Segunda Guerra Mundial até a década de 1990. Ele participou de várias gravações do bebop e das primeiras gravações do cool jazz. Foi parte do desenvolvimento do jazz modal, e também do jazz fusion que originou-se do trabalho dele com outros músicos no final da década de 1960 e no começo da década de 1970.
Miles Davis pertenceu a uma classe tradicional de trompetistas de jazz, que começou com Buddy Bolden e desenvolveu-se com Joe "King" OliverLouis ArmstrongRoy Eldridge e Dizzy Gillespie. Ao contrário desses músicos ele nunca foi considerado com um alto nível de habilidade técnica. Seu grande êxito como músico, entretanto, foi ir mais além do que ser influente e distinto em seu instrumento, e moldar estilos inteiros e maneiras de fazer música através dos seus trabalhos. Muitos dos mais importantes músicos de jazz fizeram seu nome na segunda metade do século XX nos grupos de Miles Davis, incluindo: Joe ZawinulChick Corea e Herbie Hancock, os saxofonistas John ColtraneWayne ShorterGeorge Coleman e Kenny Garrett, o baterista Tony Williams e o guitarrista John McLaughlin.
Como trompetista Davis tinha um som puro e claro, mas também uma incomum liberdade de articulação e altura. Ele ficou conhecido por ter um registro baixo e minimalista de tocar, mas também era capaz de conseguir alta complexidade e técnica com seu trompete.
Em 13 de Março de 2006, Davis foi postumamente incluído no Rock and Roll Hall of Fame. Ele foi também incluído no St. Louis Walk of Fame, Big Band and Jazz Hall of Fame, e no Down Beat's Jazz Hall of Fame.

HISTÓRIA DO ORIGAMI




No ano 105 A.C. T’Sai Lun, administrador no palácio do imperador chinês, começou a misturar cascas de árvores, panos e redes de pesca para substituir a sofisticada seda que se utilizava para escrever. O império chinês manteve segredo sobre as técnicas de fabricação do papel durante séculos. No século VI, por intermédio de monges budistas chineses, a técnica de fabricar papel chegou ao Japão e um século mais tarde, os árabes obtiveram o segredo desse processo. Na Europa a técnica de fabricação de papel chegou por volta do século XII, e dois séculos mais tarde já se espalhava por todos os reinos cristãos.
Nem sempre o papel teve boa qualidade, excepto na China e no Japão, onde desde os primeiros momentos era possível dobrá-lo, no resto do mundo, principalmente na Europa, o papel era grosso e frágil, dificultando as dobras. Só a partir do século XIV se conseguiu fabricar um papel





A palavra japonesa Origami é composta por dois caracteres. O primeiro, ori, deriva do desenho de uma mão e significa dobrar. O segundo, kami, deriva do desenho de seda e significa papel.
A palavra kami também significa espírito e Deus.
A história do Origami pode ser dividida em três grandes períodos.
Durante o período Heian (794-1185) o Origami era um divertimento das classes altas, as únicas que podiam comprar papel, que era um artigo de luxo.
Alguns modelos em Origami foram introduzidos nas cerimónias religiosas (Shinto). Os casamentos eram celebrados com copos de saquê (vinho tinto) dobrados em papel com borboletas, representando a noiva e o noivo. As borboletas fêmea e macho, simbolizavam a união.
Os guerreiros Samurai trocavam, entre si, presentes enfeitados com “noshi”, pedaços de papel dobrados em leque, de várias formas, seguros com faixas de carne seca.
Os mestres das cerimónias de chá recebiam diplomas dobrados de forma especial. Depois de os diplomas abertos estes não podiam voltar à sua forma inicial sem se realizarem outras dobras no papel.

Hoje em dia ainda se utiliza a expressão “Origami Tsuki” que significa “certificado” ou “garantia”, que funcionam como um selo de qualidade, conferindo autenticidade aos documentos de valor.

No Período Muromachi ( 1338 – 1576 ) o papel tornou-se um produto mais acessível e o Origami começou a ser utilizado para distinguir as diversas classes sociais, conforme os adornos que as pessoas usavam.
A “democratização” do Origami surge durante o Período Tokugawa (1603-1867). É neste período que surgem os primeiros livros de Origami.
O primeiro livro com instruções surgiu em 1797 – Sembazuru Oricata
( como dobrar mil tsurus).
Não se dobrou apenas no Japão, os muçulmanos também praticaram esta arte e levaram-na para Espanha. Os muçulmanos proibiam a criação de figuras, pois é contra os princípios do Islão, permitindo apenas o uso das dobras de papel para estudos matemáticos e astronómicos.
Os árabes optaram por investigar as diversas formas e propriedades de dobrar um quadrado e explorar diversas formas de cobrir as paredes de Alhambra com “tessellacions”, tendo aplicado também os seus avançados conhecimentos de trigonometria para mapearem as estrelas.
Após os árabes terem sido expulsos da Península Ibérica, pela inquisição, os espanhóis desenvolveram esta arte, chamando-a de Papiroflexia.
O pai do Origami moderno é o japonês Akira Yoshizawa. É a Yoshizawa que se deve a simbologia actual de instruções de como dobrar os modelos (Sistema Yoshizawa – Randlett, 1956 ). Este sistema é a contribuição mais importante para o Origami desde a invenção do papel, já que permite a difusão internacional das várias criações. Para Yoshizawa o Origami é uma filosofia de vida.
Hoje em dia pessoas, de todo o mundo, dedicam-se ao Origami, de várias formas. Tanto no desenvolvimento de figuras cada vez mais complexas, como no estudo matemático das várias dobras. Os japoneses utilizam, actualmente, esta forma de arte no seu Projecto Espacial.



Depois da destruição de Hiroshima em 1945, surgiram muitas doenças entre os sobreviventes. Uma das vítimas, Sadako Sassaki, com dois anos no dia da explosão, começou a sentir os efeitos da Bomba Atómica aos 12 anos, sendo-lhe diagnóstico Leucemia.
Quando Sadako estava no hospital, um amigo levou-lhe alguns papéis coloridos e dobrou um pássaro (TSURU). Disse-lhe que esse pássaro é sagrado no Japão, que vive mil anos e tem o poder de conceder desejos. E que se uma pessoa dobrar mil Tsurus e fizer o seu pedido a cada um deles, este será atendido.
Sadako começou a dobrar Tsurus e a pedir para se curar, porém a sua doença agravava-se a cada dia. A menina começou, então, a pedir pela Paz Mundial. Sadako dobrou 964 Tsurus até 25 de Outubro de 1955, data em que morreu. Os seus amigos dobraram os restantes Tsurus a tempo do seu funeral. Mas eles queriam mais, desejavam pedir por todas as crianças que estavam a morrer, em consequência da explosão da Bomba Atómica. Os amigos de Sadako formaram um clube e começaram a angariar dinheiro para um monumento. Contribuíram estudantes de mais de 3000 escolas do Japão e de 9 outros países. Em 5 de Maio de 1958 inauguraram o Monumento da Paz das Crianças, no Parque da Paz de Hiroshima.

Todos os anos no Dia da Paz, seis de Agosto, são enviados Tsurus de papel, provenientes de todo o mundo, para o Parque. As crianças desejam espalhar pelo mundo a mensagem esculpida na base do monumento de Sadako:
                                           Este é o nosso Grito
                                           Esta é a nossa oração:
                                           Paz no Mundo
Todos nós já dobrámos uma folha de papel, no entanto são poucos os que dobram intencionalmente com o intuito de estudar ideias matemáticas implícitas. A dobragem de papel é uma actividade que é tanto recreativa como educacional. Recorrendo a materiais simples, como papel A4, revistas, papel de embrulho, papel de lustro podemos de uma forma divertida aprender Matemática.
A arte de dobrar papel ajuda os alunos a aprender e a comunicar Matemática. É fácil de aprender e simples de usar.
As actividades geométricas são um excelente meio para desenvolver a comunicação matemática. Por exemplo quando um aluno tem que descrever a figura que obteve, após concretizar determinadas dobras, para que o colega a possa construir, também está a fazer uso desta capacidade.
Dobrando e desdobrando podemos observar por meio dos vincos formados rectas, ângulos, simetrias e figuras geométricas. Podemos reconhecer e analisar propriedades de figuras geométricas, utilizar a visualização e o raciocínio espacial. Explorar os conceitos de tamanho, forma e medida, incentivar a escrita matemática e motivar os alunos para a disciplina.
As dobragens praticadas em grupo permitem o debate de ideias, o esclarecimento de conceitos e o desenvolvimento de estratégias individuais e colectivas. São estas actividades de aprendizagem que rentabilizam a autonomia e a responsabilização do aluno. Além disso, permitem o desenvolvimento da criatividade, da concentração e persistência, capacidades fundamentais para se ser matematicamente competente.

quinta-feira, março 22, 2012


Os riscos que a varicocele traz ao pai

Muito se fala sobre a infertilidade feminina e pouco se conhece sobre as causas da infertilidade masculina.
Ao contrário da mulher, que desde cedo faz um acompanhamento médico de prevenção com o ginecologista, o homem normalmente não vai ao médico. Por essa razão, acaba não conhecendo muito bem o que acontece com o seu corpo e não detecta precocemente as doenças.
Cerca de 20% dos homens é portador de uma doença chamada Varicocele, doença genética que tem como maior característica dilatação das veias dos testículos, principalmente do lado esquerdo. A doença pode causar infertilidade e até atrofiar o testículo, deixando-o sem função.
Essa dilatação acontece por uma deficiência das válvulas das veias que têm como função não deixar o sangue drenado voltar para os testículos.
Dos homens inférteis, 45% tem como causa a varicocele, mas a infertilidade pode ser reversível se a doença for detectada cedo. A maioria dos homens que descobre a varicocele precocemente e realiza a cirurgia indicada volta a ser fértil, podendo engravidar suas mulheres por vias naturais.
Explicando a varicocele - Quando as válvulas não funcionam direito, o sangue que circula pelas veias dos testículos não é suficientemente drenado, voltando para os testículos e provocando uma pressão maior nas veias, causando dilatação das mesmas e aumento da temperatura dos testículos.
Além disso, ocorre o acúmulo de substâncias nocivas nos testículos, já que o sangue não circula normalmente. O aumento da temperatura com o acúmulo de substâncias nocivas diminuem a produção dos espermatozóides e tem como conseqüência uma dificuldade de fertilização do óvulo – a infertilidade.
"A varicocele causa lesão testicular progressiva, com possível redução do volume do testículo, e perda da qualidade do espermatozóide", esclarece Jorge Hallak, coordenador técnico do Centro de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas de São Paulo.
Musculação em excesso - Muitos especialistas em urologia alertam sobre a musculação exagerada feita por alguns homens. Esse carregar peso em excesso para definir os músculos em menor tempo faz com que o homem carregue mais peso do que suporta, elevando os riscos da varicocele.
A manifestação da doença ocorre em sua maioria na adolescência e pode ou não ser visualizada pela própria pessoa, pois a doença é progressiva. No início, somente o médico identifica a alteração. Se a doença estiver um pouco mais avançada, o homem consegue visualizar as veias inchadas dos testículos.
A dor só aparece se a doença já estiver em um estágio mais grave. A varicocele pode deixar o testículo menor e mais mole.
Cirurgia - Se a infertilidade for constatada, uma cirurgia é realizada. É um procedimento simples que dura entre 2 ou 3 horas e não requer muito tempo de internação. Além da infertilidade, existem outros fatores que indicam a cirurgia, como adolescentes com graus avançados da doença.
A varicocele pode trazer conseqüências irreversíveis, mas se o homem começar a se interessar mais pela prevenção, os danos serão cada vez menores. Não deixe de procurar um especialista.
Dicas
A maioria dos casos de infertilidade masculina pode ser prevenida pela simples atitude do homem realizar exames periódicos.
Se o homem, principalmente em idade reprodutiva, já estiver com sintomas da varicocele, procure imediatamente um urologista.
A cirurgia da varicocele é rápida e em poucos dias o homem volta para as suas atividades normais.

"Morre lentamente quem não viaja,

Quem não lê, 

Quem não ouve música, 

Quem destrói o seu amor-próprio,

Quem não se deixa ajudar.


Morre lentamente quem se transforma escravo do hábito, 


Repetindo todos os dias o mesmo trajecto, 

Quem não muda as marcas no supermercado, 
não arrisca vestir uma cor nova, 
não conversa com quem não conhece. 



Morre lentamente quem evita uma paixão, 


Quem prefere O "preto no branco" 

E os "pontos nos is" a um turbilhão de emoções indomáveis, 
Justamente as que resgatam brilho nos olhos, 
Sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.



Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, 

Quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, 
Quem não se permite, 
Uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos. 



Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da Chuva incessante, 


Desistindo de um projecto antes de iniciá-lo, 

não perguntando sobre um assunto que desconhece 
E não respondendo quando lhe indagam o que sabe. 



Evitemos a morte em doses suaves, 


Recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior do que o 

Simples acto de respirar. 
Estejamos vivos, então!» 



Pablo Neruda 
Meu olhar sobre você dormindo. Meu olhar secreto, em silêncio, no meio da noite. O nosso céu de estrelas entre as árvores. A minha mão na sua mão e tudo o que veio depois. Nossas manhãs, nossas risadas, nossa vida comum, em comum. A ilusão de que isso era pouco, algo fácil de encontrar.


terça-feira, março 20, 2012

Autismo de Asperger


A Síndrome de Asperger, também chamada "Desordem de Asperger", é uma categoria relativamente nova de desordem de desenvolvimento. O termo entrou em uso geral nos últimos 15 anos. Embora um grupo de crianças com esse quadro clínico tenha sido descrito originalmente, de uma forma muito acurada, na década de 1940 pôr um pediatra vienense, Hans Asperger, a síndrome de Asperger foi oficialmente reconhecida no "Manual de Diagnóstico e Estatísticas de Desordens Mentais" pela primeira vez na quarta edição, publicada em 1994. Devido a haver poucos artigos de revista compreensíveis na literatura médica até agora e devido a SA ser provavelmente consideravelmente mais comum do que inicialmente se pensava, esta discussão vai tentar descrever a síndrome em alguns detalhes e oferecer sugestões relacionadas à sua administração. Estudantes com SA são não raramente vistos na educação regular, embora freqüentemente não diagnosticados ou diagnosticados erroneamente, de modo que se trata de tópico de alguma importância para os profissionais da educação, assim como para os pais.
Síndrome de Asperger é o termo aplicado ao mais suave e de alta funcionalidade daquilo que é conhecido como o espectro dos Transtornos Invasivos (presentes e perceptíveis a todo tempo) do desenvolvimento (ou espectro de autismo). Como todas as condições ao longo do espectro, parece representar uma desordem de desenvolvimento neurologicamente fundamentada , muito freqüentemente de causa desconhecida , na qual há desvios e anormalidades em três áreas do desenvolvimento: relacionamento social, uso da linguagem para a comunicação e certas características de comportamento e estilo envolvendo características repetitivas ou perseverativas sobre um número limitado , porém intenso , de interesses . É a presença dessas três categorias de disfunção , que pode variar de relativamente amena a severa, que clinicamente define todos os Transtornos Invasivos do Desenvolvimento , de SA até o autismo clássico . Embora a idéia de um contínuo PDD (pervasive developmental disorder) ao longo de uma única dimensão seja útil para entender as semelhanças clínicas de condições ao longo do espectro , não é totalmente claro se SA é somente uma forma atenuada de autismo ou se as condições são relacionadas por algo mais que suas grandes semelhanças clínicas .
Síndrome de Asperger representa a porção das PDD caracterizada por elevadas habilidades cognitivas (pelo menos Q.I. normal, às vezes indo até as faixas mais altas) e por funções de linguagem normais , se comparadas a outras desordens do espectro . De fato , a presença de características básicas de linguagem agora é usado como um dos critérios para o diagnóstico de SA , embora esteja próximo de dificuldades sutis com linguagem pragmática e social. Muitos pesquisadores acham que há duas áreas de relativa intensidade que distinguem SA de outras formas de autismo e PDD e concorrem para um melhor prognóstico em SA . Estudiosos não chegaram a consenso se existe alguma diferença entre SA e Autismo de Alta Funcionalidade (HFA) . Alguns pesquisadores sugerem que o déficit neuropsicológico básico é diferente para as duas condições , mas outros não estão convencidos de que alguma distinção significativa posa ser feita entre os dois . Um pesquisador , Utah Frith , caracterizou crianças com SA como tendo "traços de autismo". De fato , é provável que se posa encontrar múltiplos sub-tipos e mecanismos por detrás do amplo quadro clínico SA . Isto abre espaço para alguma confusão relacionada ao diagnóstico e é provável que crianças muito parecidas através do país venham sendo diagnosticadas como as, HFA ou PDD, dependendo de onde e por quem foram avaliadas .
Uma vez que a própria SA mostra um espectro de severidade dos sintomas , muitas crianças menos usuais , que podem atingir critérios para esse diagnóstico não são absolutamente diagnosticadas e são vistas como "incomuns" ou "um pouco diferentes", ou são erroneamente diagnosticadas com condições como desordens de atenção , distúrbios emocionais , etc . Muitos nesse campo acreditam que não há uma fronteira clara separando crianças SA de crianças "normais porém diferentes" . A inclusão de SA como uma categoria separada no novo DMS-4 , com critérios mais ou menos claros de diagnóstico pode levar a grande consistência de identificação no futuro .
Epidemiologia:
Os melhores estudos que tem sido conduzidos até agora sugerem que SA é consideravelmente mais comum que o autismo clássico . Enquanto o autismo tem tradicionalmente sido encontrado à taxa de 4 a cada 10.000 crianças, estima-se que a Síndrome de Asperger esteja na faixa de 20 a 25 por 10.000 . Isso significa que para cada caso de autismo típico , as escolas devem esperar encontrar diversas crianças com SA (isso é tanto mais verdade para o ensino básico , onde a maioria das crianças com SA são encontradas) . De fato , um estudo criterioso , baseado nas populações , foi conduzido pelo grupo do Dr. Gillberg , na Suécia , concluindo que aproximadamente 0,7% das crianças estudadas tem um quadro clínico diagnosticável ou sugerindo SA em algum grau . Particularmente se forem incluídas as crianças que tem muitas das características SA e parecem ser levemente enquadráveis ao longo do espectro tido como "normal" . Então parece ser uma condição nada rara .
Todos os estudos concordam que a síndrome de Asperger é muito mais comum em rapazes que em garotas . A razão para isso é desconhecida . SA é muito comumente associada com outros tipos de diagnóstico , novamente por razões desconhecidas , incluindo : "tics" como a desordem de Tourette , problemas de atenção e problemas de humor , como depressão e ansiedade . Em alguns casos há um claro componente genético , onde um dos pais (normalmente o pai) mostra ou o quadro SA completo ou pelo menos alguns dos traços associados ao SA ; fatores genéticos parecem ser mais comuns em SA que no autismo clássico . Traços de temperamento como ter interesses intensos e limitados , estilo rígido ou compulsivo e desajustamento social ou timidez também parecem ser mais comuns , sozinhos ou combinados , em parentes de crianças SA . Algumas vezes haverá história positiva de autismo em parentes , reforçando a impressão de que SA e autismo sejam às vezes condições relacionadas . Outros estudos tem demonstrado taxa relativamente alta de depressão , uni ou bipolar , em parentes de crianças com SA , sugerindo relação genética pelo menos em alguns casos . Parece que , como no autismo , o quadro clínico seja provavelmente influenciado por muitos fatores , inclusive genéticos , de modo que não há uma causa única identificável na maioria dos casos .
Definição:
O novo critério DSM-4 para diagnóstico de SA , com os critérios oriundos do diagnóstico do autismo , incluem a presença de :
Prejuízo qualitativo na interação social , envolvendo alguns ou todos dentre :
  • prejuízo no comportamento não-verbal p/ regular a à falha no desenvolvimento de relações com seus pares em idade;
  • falta de interesse espontâneo em dividir experiências com outros ;
  • falta de reciprocidade emocional ou social .
  • Padrões restritos , repetitivos e estereotipados de comportamento , interesses e atividades envolvendo :
  • preocupação com um ou mais padrões de interesse restritos e estereotipados ;
  • inflexibilidade a rotinas e rituais não-funcionais específicos ;
  • maneirismos motores estereotipados ou repetitivos , ou preocupação com partes de objetos .
  • Estes comportamentos precisam ser suficientes para interferir significativamente com funções sociais ou outras áreas . Além disso , é necessário não haver atraso significativo nas funções cognitivas gerais ,
  • auto-ajuda/características adaptativas , interesse no ambiente ou desenvolvimento geral da linguagem .
  • Cristopher Gillberg , um médico sueco que estudou SA extensivamente , propõe seis critérios para o diagnóstico , elaborado sobre os critérios DSM-4 . Seus seis critérios capturam o estilo único dessas crianças , e incluem :
  • 1o) Isolamento social , com extremo egocentrismo , que pode incluir :
  • * falta de habilidade para interagir com seus pares
  • falta de desejo de interagir
  • apreciação pobre da trança social
  • respostas socialmente impróprias
2o) Interesses e preocupações limitadas
  • mais rotinas que memorizações
  • relativa exclusividade de interesses -- aderência repetitiva
3o) Rotinas e rituais repetitivos , que podem ser :
  • auto-impostos
  • impostos por outros
  • 4o) Peculiaridades de fala e linguagem , como :
  • possível atraso inicial de desenvolvimento , não detectado consistentemente
  • linguagem expressiva superficialmente perfeita
  • prosódia ímpar , características peculiares de voz
  • compreensão diferente , incluindo interpretação errada de significados literais ou implícitos
5o) Problemas na comunicação não-verbal, como:
  • uso limitado de gestos
  • linguagem corporal desajeitada
  • expressões faciais limitadas ou impróprias
  • olhar fixo peculiar
  • dificuldade de ajuste a proximidade física
6o) Desajeitamento motor
  • pode não fazer necessariamente parte do quadro em todos os casos
  • Características clínicas
  • mais óbvio marco da síndrome de Asperger e a característica que faz dessas crianças tão únicas e fascinantes é sua peculiar , idiossincrática área de "interesse especial" . Em contraste com o mais típico autismo , onde os interesses são mais provavelmente por objetos ou parte de objetos , no SA os interesses são mais freqüentemente por áreas intelectuais específicas . Freqüentemente , quando eles entram para a escola , ou mesmo antes , essas crianças mostrarão interesse obsessivo em uma área como matemática , aspectos de ciência , leitura (alguns tem histórico de hiperlexia - leitura rotineira em idade precoce) ou algum aspecto de história ou geografia , querendo aprender tudo que for possível sobre o objeto e tendendo a insistir nisso em conversas e jogos livres . Tenho visto algumas crianças com SA cujo foco são mapas , clima , astronomia , vários tipos de máquinas ou aspectos de carros , trens , aviões e foguetes . Curiosamente , voltando à descrição original do Dr. Asperger em 1944 , a área de transportes tem parecido ser de especial fascínio (ele descreveu crianças que memorizavam as linhas de bonde de Viena até o último ponto) . Muitas crianças com SA , até 3 anos de idade , parecem ser especialmente atentas a coisas como as rotas nas viagens de carro . Às vezes as áreas de fascínio representam exagero de interesses comuns em nossa cultura , como Tartarugas Ninja , Power Rangers , dinossauros , etc . Em muitas crianças as áreas de interesse especial mudam com o tempo , com uma preocupação sendo substituída por outra . Em algumas crianças , no entanto , os interesses podem persistir até a fase adulta e há muitos casos onde as fascinações de infância formaram a base para carreiras adultas , incluindo um bom número de colegas professores .
  • A outra maior característica de SA é a deficiente socialização , e isso , também , tende a ser algo diferente do que se vê no autismo típico . Embora crianças com SA sejam freqüentemente notadas por pais e professores como estando "em seu próprio mundo" e preocupadas com sua própria agenda , elas raramente são distantes como as crianças com autismo . De fato , muitas crianças com SA , pelo menos na idade escolar , expressam desejo de viver em sociedade e ter amigos . São freqüentemente profundamente frustradas e desapontadas com suas dificuldades sociais . Seu problema não é exatamente a falta de interação , mas a falta de efetividade nas interações . Eles parecem ter dificuldade para aprender a "fazer conexões" sociais . Gillberg descreveu isso como uma "desordem de empatia" , a inabilidade de efetivamente "ler" as necessidades e perspectivas dos outros e responder apropriadamente . Como resultado , crianças com SA tendem a ler errado as situações sociais e suas iterações e suas respostas são freqüentemente vistas por outros como "ímpares" .
Embora características "normais" de linguagem seja uma característica que distingue SA de outras formas de autismo e PDD , usualmente há algumas diferenças observáveis na forma como essas crianças usam a linguagem . Essa é a habilidade em que são mais fortes, às vezes muito fortes . Sua prosódia - aqueles aspectos da linguagem falada como volume , entonação , inflexão , velocidade , etc - é freqüentemente diferente . Às vezes soa formal ou pedante , expressões idiomáticas e gírias são freqüentemente não usadas ou usadas erroneamente , e as coisas são freqüentemente tomadas literalmente . A compreensão da linguagem tende ao concreto , com problemas crescendo quando a linguagem se torna mais abstrata nos graus mais elevados . Pragmática , ou informal , habilidades de linguagem são freqüentemente fracas devido a problemas com retornos , uma tendência a reverter para áreas de interesse especial ou dificuldade de sustentar o "dar e receber" das conversas . Muitas crianças com SA tem dificuldade com humor , tendendo a não "pegar" brincadeiras particularmente coisas como trocadilhos ou jogos de palavras . A crença comum de que crianças com Transtornos Invasivos do Desenvolvimento são sem senso de humor é freqüentemente um erro . Algumas crianças com SA tendem a ser hiperverbais , não entendendo que isso interfere com suas interações com os outros e afastando-os .
Quando se examina a história inicial da linguagem de crianças com SA não há padrões simples : algumas delas atingem normalmente , e às vezes até prematuramente os marcos , enquanto outras mostram claramente atrasos na fala com rápida recuperação da linguagem normal quando começa a fase escolar . Nessas crianças abaixo de 3 anos em que a linguagem ainda não chegou à faixa normal , a diferenciação de diagnóstico entre SA e autismo leve pode ser difícil , a ponto de somente o tempo pode clarificar o diagnóstico . Freqüentemente , particularmente durante os primeiros anos , pode-se perceber características associadas à linguagem similares às do autismo , como aspectos perseverativos ou repetitivos da linguagem ou uso de frases feitas ou figuras de material ouvido previamente .
Síndrome de Asperger através da vida
Em seu trabalho original de 1944 , descrevendo crianças que depois passaram a ser designadas pelo seu nome , Hans Asperger reconheceu que embora os sintomas e problemas mudem com o tempo , o problema geral raramente acaba . Ele escreveu que "no curso do desenvolvimento , certas características predominam ou recuam , de modo que os problemas apresentados mudam consideravelmente . Todavia , os aspectos essenciais permanecem inalterados . Na primeira infância existe dificuldade em aprender habilidades simples e adaptação social . Estas dificuldades surgem do mesmo distúrbio que cause problemas de conduta e aprendizado na idade escolar , problemas de desempenho no trabalho na fase da adolescência e conflitos sociais e conjugais na fase adulta ." Por outro lado , não se questiona que crianças com SA tem geralmente problemas mais brandos em cada idade se comparados àqueles com outras formas de autismo e PDD , e seu prognóstico final é certamente melhor . De fato , uma das mais importantes razões para distinguir SA de outras formas de autismo é seu histórico consideravelmente mais brando .
A criança pré-escolar
Como se pode notar , não há um quadro único e uniforme da síndrome de Asperger nos primeiros 3 a 4 anos de vida . O quadro inicial pode ser difícil de distinguir do autismo típico , sugerindo que , quando se avalia qualquer criança com autismo e inteligência aparentemente normal , a possibilidade de ele/ela ter um quadro mais compatível com o diagnóstico Asperger deve ser considerada . Outras crianças podem ter atrasos iniciais de linguagem com rápida recuperação entre os 3 e 5 anos de idade . Finalmente , algumas dessas crianças , particularmente as mais vivas , podem não evidenciar atraso inicial de desenvolvimento exceto , talvez , algum desajeitamento motor . Em alguns casos , entretanto , se se observa atentamente a criança na fase de 3 a 5 anos , traços do diagnóstico podem ser encontrados , e em muitos casos uma avaliação abrangente pode ao menos apontar para um diagnóstico no espectro PDD/autismo . Embora essas crianças se relacionem de modo perfeitamente normal dentro da família , problemas podem ser notados quando entram no ambiente da pré-escola . Isso pode incluir : tendência a evitar interações sociais espontâneas ou mostrar habilidades fracas em iterações , problemas para sustentar simples conversações ou tendência a ser perseverativo ou repetitivo quando conversando , respostas verbais díspares , preferência por rotinas e dificuldade com transições , dificuldade para regular respostas sociais/emocionais com raiva , agressão , ansiedade excessiva , hiperatividade , parecendo estar "em seu próprio mundo", e tendência a sobrefocar em objetos ou assuntos em particular . Certamente , a lista é muito parecida com os primeiros sintomas de autismo ou PDD . Comparado a essas crianças , no entanto , terá linguagem menos anormal e poderá não ser tão obviamente "diferente" das outras crianças . Áreas com habilidades particularmente fortes podem estar presentes , como reconhecimento de letras ou números , memorização de fatos , etc .
Escola elementar
As criança com SA freqüentemente entrará no jardim de infância sem ter sido adequadamente diagnosticada . Em alguns casos , haverá observações relacionadas ao comportamento (hiperatividade, falta de atenção, agressividade, ausências) nos anos pré-escolares ; suas habilidades sociais e interações com os pares podem ser classificadas como "imaturas"; a criança pode ser vista como tendo algo incomum . Se esses problemas forem mais severos , então educação especial pode ser sugerida , mas provavelmente crianças com SA seguem o caminho escolar normal . Freqüentemente o progresso acadêmico nos primeiros anos é área de relativo sucesso ; por exemplo , leitura é usualmente boa e habilidades de cálculo pode ser igualmente fortes , embora habilidades com o lápis sejam consideravelmente fracas . O professor provavelmente atacará as áreas "obsessivas" de interesse da criança , que freqüentemente atrapalham os trabalhos de classe . Muitas crianças mostrarão algum interesse social em outras crianças , embora posas ser pequeno , mas elas normalmente apresentam fraco desempenho para fazer e manter amizades . Elas podem mostrar particular interesse em uma ou poucas crianças ao seu redor , mas normalmente a profundidade de suas interações será relativamente superficial . Por outro lado , conheci algumas crianças SA que se apresentam atenciosas e "bonitas" , particularmente quando interagindo com adultos . O déficit social , quando menos severo , pode ser subestimado por muitos observadores .
O curso através da escola elementar pode variar consideravelmente de criança para criança , e problemas podem variar de leves e fáceis de administrar a severos e intratáveis , dependendo de fatores como o grau de inteligência da criança , propriedade da administração na escola e em casa , temperamento da criança e a presença ou ausência de fatores complicadores como hiperatividade , problemas de atenção , ansiedade, problemas de aprendizagem , etc .
Graus mais adiantados
À medida que a criança SA se move através da escola média e secundária , as áreas mais difíceis continuam a ser aquelas relacionadas a socialização e ajustamento comportamental . Paradoxalmente , devido a crianças SA serem freqüentemente administradas em escola normal , e devido a seus problemas específicos de desenvolvimento poderem ser mais facilmente relevados (especialmente se forem brilhantes e não agirem tão "estranhamente") , elas são freqüentemente mau interpretados nessa idade por seus professores e colegas . No nível secundário os professores freqüentemente tem menos oportunidade de conhecer bem a criança e problemas com comportamento ou habilidades de trabalho/estudo podem ser erroneamente atribuídas a problemas emocionais ou motivacionais . Em alguns casos particularmente menos estruturados ou familiares , como cantina , educação física ou playground , a criança pode entrar em conflitos ou luta de forças com professores ou estudantes que não estejam familiarizados com seu estilo de interação . Isso pode às vezes levar a sérias explosões . A pressão se acumula nessas crianças até reagirem de uma forma dramática e inapropriada .
Na segunda metade do 1o grau (da 5a. a 8a. série) onde as pressões são maiores e a tolerância a diferenças é mínima , crianças com SA podem ser postas de lado , mal interpretadas , ou importunadas e perseguidas . Desejando fazer amigos e mantê-los , mas inábeis pare faze-lo , podem se afastar cada vez mais ou seu comportamento pode se tornar cada vez mais problemático na forma de ausências e não-cooperação . Algum grau de depressão não é incomum e é um complicador . Se não há significativas dificuldades de aprendizado , o desempenho acadêmico pode continuar forte , particularmente em suas áreas de particular interesse ; freqüentemente , no entanto , haverá súbitas tendências a interpretar erroneamente informações , particularmente abstrações ou linguagem figurativa . Dificuldades de aprendizado são freqüentes e dificuldades de atenção e organização podem estar presentes .
Afortunadamente , no segundo grau a tolerância pelas variações e excentricidades individuais cresce . Se a criança vai bem academicamente , isso pode dar-lhe o respeito dos outros estudantes . Alguns estudantes SA podem ser tachados como "caxias" , um grupo como qual efetivamente se parece em muitos aspectos e com o qual pode superar algumas dificuldades da SA . O adolescente SA pode formar amizades com outros estudantes que compartilham seus interesses através de clubes de computador ou de matemática , feiras de ciências , clubes de Star Trek , etc . Com sorte e gerenciamento adequado , muitos desses estudantes desenvolverão habilidades consideráveis , "graus sociais" e habilidades gerais para se encaixar mais confortavelmente em sua idade , facilitando seu caminho .
Adultos Asperger
Crianças Asperger crescem . É importante notar que temos informação limitada relativa aos resultados da maioria das crianças . Somente recentemente SA foi separada do autismo típico e o resultado dos casos mais brandos geralmente não foi relatado . Os dados disponíveis sugerem que , comparados a outras formas de autismo/PDD , crianças com SA são mais aptas a crescer e ser adultos independentes em termos de emprego , casamento , família , etc .
Uma das mais interessantes e úteis fontes de dados vem indiretamente , da observação dos pais ou parentes da criança SA , que parecem eles próprios ter SA . Dessas observações fica claro que SA não impede o potencial de uma vida adulta mais "normal" . Comumente esses adultos gravitarão para uma ocupação ou profissão relacionada a sua própria área de interesse especial , às vezes se tornando muito talentoso . Muitos dos estudantes brilhantes SA são capazes de completar com sucesso a faculdade e até mesmo pós-graduação . Em muitos casos continuarão a demonstrar , pelo menos em alguma extensão , sutis diferenças nas iterações sociais . Eles podem ser desafiados pelas exigências sociais e emocionais do casamento , embora se saiba que muitos efetivamente se casam . Sua rigidez de estilo e perspectiva idiossincrática no mundo podem gerar dificuldades de interações , dentro e fora da família . Também há o risco de problemas de humor , como depressão e ansiedade , e é sabido que muitos encontram seu caminho com psiquiatras e outros especialistas em saúde mental onde , sugere Gillberg , a verdadeira natureza de seus problemas pode não ser reconhecida ou diagnosticada erroneamente .
De fato , Gillberg estima que talvez 30-50% dos adultos com SA nunca foram avaliados ou corretamente diagnosticados . Esses "Aspergers normais" são vistos pelos outros como "um pouco diferentes" ou excêntricos , ou talvez recebam outro diagnóstico psiquiátrico . Encontrei alguns indivíduos que acredito se encaixem nessa categoria , e fico impressionado por quantos deles foram capazes de usar suas habilidades , freqüentemente suportados pelos que os amam , para achar aquilo que considero ser um alto nível de funcionalidade , personalidade e profissionalismo . Foi sugerido que alguns dos mais brilhantes e altamente funcionais indivíduos com SA representam recurso único para a sociedade , tendo interesse único em avançar o conhecimento em várias áreas da ciência , matemática , etc .
Sugestões para administrar na escola
O mais importante ponto de partida para ajudar estudantes com síndrome de Asperger a funcionar efetivamente na escola é que o staff (todos que tenham contato com a criança) compreenda que a criança tem uma desordem de desenvolvimento que a leva a se comportar e responder de forma diferente que os demais estudantes . Muito freqüentemente o comportamento dessas crianças é interpretado como "emocional" ou "manipulativo" ou alguns termos que confunde a forma como eles respondem diferentemente ao mundo e seus estímulos . Dessa compreensão segue que o staff da escola precisa individualizar sua abordagem para cada uma dessas crianças ; não funciona tratá-los da mesma forma que a outros estudantes . O próprio Asperger compreendeu a importância central da atitude do professor no seu próprio trabalho com essas crianças . Ele escreveu em 1944 "Estas crianças freqüentemente mostram uma surpreendente sensibilidade à personalidade do professor... Eles podem ser ensinados , mas somente por aqueles que lhe dão verdadeira afeição e compreensão , pessoas que mostram delicadeza e , sim , humor... A atitude emocional básica do professor influencia , involuntária e inconscientemente , o humor e o comportamento da criança ."
Embora seja sabido que muitas crianças com SA possam ser administradas em classes regulares , elas freqüentemente precisam de algum suporte educacional . Se problemas de aprendizado estão presentes , salas de recuperação ou tutoreamento podem ser úteis para fornecer explicação e revisão individualizadas . Serviços de fonoaudiologia podem ser desnecessários , mas especialista em fala e linguagem na escola podem ser úteis como consultores para o resto do staff , sugerindo caminhos para endereçar problemas em áreas como linguagem pragmática . Se o desajeitamento motor for significativo , como às vezes ocorre , um terapeuta ocupacional pode dar estímulos úteis . O conselheiro da escola ou o serviço social pode dar treinamento em habilidades sociais , bem como suporte emocional . Finalmente , umas poucas crianças com grande necessidade podem se beneficiar com a assistência de uma assistente de classe especialmente designada para ele . Por outro lado , algumas das crianças com alta funcionalidade e as com quadro leve de SA são capazes de se adaptar e funcionar com pouco suporte formal da escola , se o staff for compreensivo , flexível e der suporte .
Há alguns princípios gerais para administrar crianças com algum grau de PDD na escola, e isso se aplica ao SA :
  • as rotinas de classe devem ser mantidas tão consistentes , estruturadas e previsíveis quanto possível . Crianças com SA não gostam de surpresas . Devem ser preparadas previamente , quando possível , para mudanças e transições , inclusive as relacionadas a paradas de agenda , dias de férias , etc .
  • regras devem ser aplicadas cuidadosamente . Muitas dessas crianças podem ser nitidamente rígidas quanto a seguir regras quase que literalmente . É útil expressar as regras e linhas-mestras claramente , de preferência por escrito , embora devam ser aplicadas com alguma flexibilidade . As regras não precisam ser exatamente as mesmas para as crianças SA e o resto da classe - suas necessidades e habilidades são diferentes .
  • o staff deve tirar toda a vantagem das área de especial interesse quando lecionando . A criança aprenderá melhor quando a área de alto interesse pessoal estiver na agenda . Os professores podem conectar criativamente as áreas de interesse ao processo de ensino . Pode até mesmo usar as áreas de especial interesse como recompensa para a criança por completar com sucesso outras tarefas em aderência a regras e comportamentos esperados .
  • muitos estudantes com SA respondem bem a estímulos visuais : esquemas , mapas , listas , figuras , etc . Sob esse aspecto são muito parecidas com crianças com PDD e autismo .
  • em geral , tentar ensinar baseado no concreto . Evitar linguagem que posa ser interpretada erroneamente por crianças SA , como sarcasmo , linguagem figurada confusa , figuras de linguagem , etc . Procurar interromper e simplificar conceitos de linguagem mais abstratos .
  • ensino explícito e didático de estratégias pode ser muito útil para ajudar a criança a ganhar eficiência em "funções executivas" como organização e habilidades de estudo .
  • assegurar-se que o staff da escola fora da sala de aula (professor de educação física , motorista do ônibus , pessoal da cantina , bibliotecária ) esteja familiarizado com o estilo e necessidades da criança e tenha adequado treinamento em tratá-lo . Essas coisas menos estruturadas , onde as rotinas e expectativas são menos claras tendem a ser difíceis para a criança SA .
  • tentar evitar luta de forças . Essa crianças freqüentemente não entendem demonstrações rígidas de autoridade ou raiva e irão eles próprios tornar-se mais rígidos e teimosos se forçados . Seu comportamento pode ficar rapidamente fora de controle , e nesse ponto é normalmente melhor para o terapeuta interromper e deixar esfriar . É sempre preferível , se possível , antecipar essas situações e tomar ações preventivas para evitar a confrontação através de serenidade , negociação , apresentação de escolhas ou dispersão de atenção .
  • A principal área de atenção à medida que a criança se move através da escola é a promoção de uma interação social mais apropriada , ajudando esta criança a atingir uma melhor sociabilidade . Treinamento formal e didático em habilidades sociais pode ser feito tanto em sala de aula quanto em ação mais individualizada . Abordagens que tem sido muito bem sucedidas utilizam modelamento direto e ação a nível concreto (alguns como no Curriculum de Skillstreaming) . Ensaiando e praticando como agir em várias situações sociais a criança pode com sucesso aprender a generalizar as habilidades para um conjunto natural . É muitas vezes útil usar uma abordagem onde a criança é juntada com outra para absorver alguns encontros estruturados . O uso de um "sistema amigo" pode ser muito útil , desde que essas crianças se relacionem melhor 1-1 . A seleção cuidadosa de um amigo não-Asperger para a criança pode ser uma ferramenta para ajudar a montar habilidades sociais , encorajar amizades e reduzir a estimatização . Deve ser tomado cuidado , especialmente nos graus mais avançados , para proteger a criança de ser importunada dentro e fora da sala de aula , uma vez que é uma grande fonte de ansiedade para crianças mais velhas com SA . Deve ser feito esforço para ajudar outros estudantes a entender melhor a criança SA , de modo a obter tolerância e aceitação . Os professores podem tirar vantagem das fortes habilidades acadêmicas que muitas crianças SA tem para ajudá-los a ganhar aceitação de seus pares . É muito útil se a criança SA tem a oportunidade de ajudar outras crianças às vezes .
  • Embora muitas crianças com SA sejam conduzidas sem medicação e a medicação não cura nenhum dos sintomas principais , existem situações específicas onde a medicação pode ocasionalmente ser útil . Os professores devem ficar atentos para o potencial de problemas de humor , como ansiedade e depressão , particularmente em crianças mais velhas com SA . Medicação com antidepressivo (por exemplo Imipriamine ou uma das novas drogas serotonergicas como Fluoxetine) pode ser indica se problemas de humor interferirem significativamente com o funcionamento da criança . Algumas crianças com sintomas compulsivos significativos ou comportamento ritualista podem ser ajudadas por drogas serotonergicas ou clomipramine . Problemas de falta de atenção na escola que às vezes se nota em certas
  • crianças podem às vezes ser ajudados por medicação estimulante como methylphenidate ou dextroamphetamine , da mesma forma que são usados para tratar Déficit de Atenção . Ocasionalmente pode ser necessário medicação para acessar comportamentos mais severos de comportamento que não tenham respondido a intervenções comportamentalistas , não-médicas . Clonidine é uma medicação que tem se mostrado útil em tais situações e há outras opções , se necessário .
  • Tentando dar um ensino adequado e um plano de administração na escola , é freqüentemente útil que pessoal de apoio e os pais trabalhem juntos , uma vez que os pais estão mais familiarizados com o que ocorreu no passado para uma dada criança . Também é útil colocar tantos detalhes quanto for possível no Plano de Educação Individual , de modo que o progresso posa ser monitorado e reaproveitado de ano para ano . Finalmente , para arquitetar esses planos , pode às vezes ser útil a ajuda de um conselheiro
  • familiarizado no trato de crianças com a síndrome de Asperger e outras formas de PDD , como psicólogos , médicos e consultores Boces . Em casos complexos a orientação de uma equipe sempre é recomendável .

Enfim você chegou!

O Tarot e a Psicologia

Ψ Jung e o Tarot - Uma Jornada Arquetípica - O Tarô é um dos espelhos do  pensamento inconsciente.  - Cada uma das cartas...