quinta-feira, outubro 01, 2015

COISAS QUE NOS ENVELHECEM

COISAS QUE NOS ENVELHECEM


Se você deseja preservar sua aparência jovial, ter um corpo saudável e atraente terá de conhecer como seu organismo funciona e rever seus hábitos de vida.

Os fatores que acabam com a nossa saúde e alteram nosso biótipo, estão em nossa rotina como hábitos agradáveis, outros estão ligados ao nosso trabalho, nosso modo de ser e agir, modismos, hábitos alimentares e inúmeras outras coisas. A modernidade aumenta a associação a eles e a sofisticação fortalece os vínculos. Esses fatores mudam nossa fisiologia, alteram nosso biorritmo, envenenam nosso organismo e até causam doenças.

Doenças
Adoecer envelhece; desde uma simples gripe a infecções urinárias, de garganta, ouvido e dente, todas promovem o envelhecimento. Principalmente aquelas doenças que produzem febre . Os hormônios da tireóide que são responsáveis pelo metabolismo do corpo são aumentados durante uma doença ou internação hospitalar ; nossos cabelos e unhas crescem mais rápido (20% a mais), e as células e tecidos do corpo degeneram mais rápido. O tecido epitelial por ser o mais visível, é o primeiro a se observar os efeitos do envelhecimento; e assim ocorre pela aceleração metabólica, provocada por doenças constantes.

Há infecções sub-clínicas que por vezes não percebemos; são infecções que acontecem sem os sintomas clássicos da doença ou atenuados pela competência imunológica. amigdalites, vaginites, cervicites e dezenas de outras infecções podem estar minando nossa energia e envelhecendo nosso corpo.

As mulheres visivelmente envelhecem mais rápido que os homens. Isto porque a mulher passa por eventos como o parto, cirurgias, intervenções médicas etc, que são mais comuns ao sexo feminino. Mesmo as mulheres que não tem filhos, a sua própria constituição feminina (genitais, hormonal etc) conspiram contra sua beleza, através de complicações, infecções, tensões, sobrecargas de atividades etc.

A própria prática sexual (como é feita) pode conspirar contra a mulher.

Evitar uma gripe, inflamações, ou uma infecção qualquer, garante vitalidade e beleza física. Em indivíduos como as mulheres que estão constantemente expostas a situações adversas a saúde, a vigilância por se manter saudável e livre de doenças, é primordial.

Alimentação
As dietas hiper-calóricas ou alimentos com muito açúcar (sorvetes, pudins, bolos, docinhos etc) promovem o envelhecimento. As calorias excessivas oferecida às células dos vários tecidos e órgãos promovem um desgaste celular pelo metabolismo do oxigênio, e seu produto em radicais livres ; isso porque a metabolização destes tipos de alimentos, é intermediada pela Insulina (em altas taxas), resultando a produção de radicais livres e ativação de genes responsáveis por 70% das modificações genéticas da velhice.

Alimentos de origem animal não são recomendáveis para quem quer preservar sua jovialidade; a metabolização de agentes orgânicos de origem animal, produz metabólicos tóxicos ao organismo. O exemplo clássico é a carne, que depois de digerida e metabolizada, produz amônia, uréia e acido úrico , intoxicando o sangue e sobrecarregando os rins. A dieta de origem animal ainda favorece o contato com bactérias, parasitas, fungos e vírus, que são responsáveis por 35% das hospitalizações nos EUA.

Todos esses eventos estressam e sobrecarregam o organismo levando ao envelhecimento precoce.

Estresse
Há muito tempo se sabe que o estresse promove o envelhecimento, mas até agora não haviam relacionado a causa deste processo. O estresse, como a preocupação de uma mãe com dupla carga horária (trabalho e filhos), por exemplo, pode adicionar dez anos à idade biológica das células de uma mulher.

Isso porque o estresse é capaz de prejudicar partes do DNA conhecidas como telômeros, que participam no controle da divisão celular. Os telômeros são tiras de DNA na ponta final dos cromossomos, que parecem proteger e estabilizá-los. Porém, eles diminuem a cada vez que uma célula se divide, até que não sobre mais nada, fazendo as divisões celulares menos confiáveis e aumentando as probabilidades de doenças comuns em idades avançadas. Em média, a diferença do tamanho dos telômeros entre as mulheres que enfrentavam níveis altos e baixos de estresse era o de aproximadamente uma década de envelhecimento.

Inatividade
A falta de atividade em nossos dias é muito relativa; uma pessoa pode passar até 10 horas em uma rotina de trabalho, mas ser considerada sedentária, pois suas atividades se limitam a uma sala fechada, privada de ar puro, luz solar e exercício físico.

O envelhecimento pela inatividade é algo muito óbvio, pois nossos músculos perdem tônus, força e ficam mais propensos a distensões e dores. A irrigação que o sangue oferece aos vários tecidos e órgãos não é feita devidamente, e as células perdem um suprimento de oxigênio e nutrientes.

Para este perfil de pessoa (o sedentário), tão comum em nossos dias, a solução é que diariamente ou em dias intercalados faça uma rotina de exercícios físicos compensatórios. Desde a uma simples caminhada, passeios ciclísticos, natação, prática de um esporte ou ginástica em casa; essas atividades devem ser regulares e em períodos de 40 minutos no mínimo.

A atividade física expõe o individuo a outros fatores externos que irão contribuir para a saúde geral. Ao se praticar uma atividade física somos expostos ao sol, ar puro, água (que é ingerida em maior abundância) e elementos visuais (o azul do céu, o verde da vegetação) que auxiliam no descanso mental.

Hábitos
O que você faz no seu dia a dia vai afetar sua expectativa de vida. Hábitos simples e inofensivos, mas que repetidos durante 5, 10, 20 anos, irão determinar a sua expectativa de vida. Esses hábitos fazem surgir eventos como doenças, mal estar, lesões, inflamações e até a disposição para se encarar o dia-a-dia.

Essa esfera de nossa vida é tão vasta atingindo desde nossos hábitos de postura (sentar) até nossos hábitos mais íntimos (higiene e sexuais). Eles estão ligados a cada movimento, atitude e pensamento; cada pessoa deve analisar os seus hábitos diários e verificar se estão causando algum problema.

O exemplo clássico é o hábito da postura, seja enquanto nos sentamos, ficamos de pé ou caminhamos.

A má postura determina até a conformação de nossos órgãos internos e seu desempenho fisiológico; doenças por má postura são conhecidas e mais ainda as dores que elas causam. Uma pessoa que possui problemas em sua coluna, causada pela má postura, terá uma qualidade de vida inferior causada pelas constantes dores e a impossibilidade de realizar certos movimentos e atividades.

Uma famosa doença (síndrome) da modernidade é a LER. A Lesão por Esforço Repetitivo é comum no ambiente de trabalho, onde a repetição mecânica faz parte da rotina diária. Ela causa lesões nas mais diferentes partes do corpo – membros, tendões e articulações. São os hábitos de trabalho e como as atividades são conduzidas que determinam as lesões. Atualmente as empresas estão inserindo nas rotinas de trabalho, o hábito de exercícios de alongamento, aquecimento e fortalecimento, para evitar as lesões. Outras empresas estão premiando os funcionários que possuem o hábito de praticar os exercícios físicos, pois estes estão mais preparados para enfrentar uma rotina de trabalho.

Não podemos falar de hábitos sem mencionar a higiene. Uma simples escovação dos dentes pode ajudar a você não ter complicações cardíacas. Pessoas que não possuem o hábito de escovar os dentes desenvolvem placas bacterianas que causam lesões na gengiva, e posterior sangramento, facilitando o acesso destes microorganismos na circulação sanguínea e instalação no tecido cardíaco com a evolução de endocardites.

São muitos os maus hábitos que precisam ser corrigidos. Dirigir em alta velocidade ou de forma agressiva no trânsito, comer em frente à TV; sentar-se à mesa para uma refeição em meio a discussões; praticar esporte radical, todos esses hábitos desencadearão a produção substâncias adrenérgicas, que também envelhecem o organismo.

Disposição Mental
A ansiedade e a depressão são consideradas as doenças da pós-modernidade.
Há muitos fatores que determinam o aparecimento desses dois sintomas e a formação de quadros clínicos complexos e até síndromes. Mas muitas vezes a ansiedade e a depressão estão associadas a coisas banais, como a não satisfação de desejos materialistas. Muitas pessoas estão ansiosas ou deprimidas hoje em dia porque não possuem algumas bugigangas eletrônicas, bens materiais ou até mesmo mais dinheiro; a depressão aparece porque não se consegue um status determinado, ou seguir um padrão social idealizado.

Pessoas com essas tendências refletem no rosto as marcas da ansiedade ou da depressão. A pele se torna menos irrigada e o tecido recebe poucos nutrientes para uma aparência saudável; os músculos ficam flácidos, riscando a pele com sulcos graves e profundos.

Por outro lado o sorriso aumenta a irrigação dos tecidos musculares e epiteliais (pele) do rosto promovendo a rigidez e a aparência saudável. Uma pele que constantemente sofre os efeitos de um sorriso ou de uma gargalhada, irá estar firme e corada.

A inércia do rosto é uma realidade em nossos dias, pois a ansiedade e a depressão nos isolam das pessoas e situações agradáveis; sulcos e dobras de pele vão surgindo pela inércia dos tecidos da pele e músculos, por não serem exercitados ou se manterem tensos e repletos de substâncias adrenérgicas tóxicas.

Muitas pessoas ao se sentirem estressadas ingerem o álcool para esquecerem os problemas; os que são propensos à depressão gostam de ingerir doce para estimular o sistema compensatório do cérebro (que é um mecanismo não natural). O álcool e os doces são fatores que aceleram o envelhecimento do organismo.

Enfim, são inúmeras as situações, algumas corriqueiras outras mais complexas, mas que devemos estar cientes, para evitar a perda de bens preciosos que são a saúde e a beleza.

È aqui que reside o sucesso de estarmos lutando contra nossas tendências naturais ao estresse que nos envelhece e tira a beleza física; há muitas situações em que precisamos gerenciar nossos pensamentos, palavras e ações para que a ira, raiva, ressentimentos, não tenham lugar em nossa mente. Quando essas emoções aparecem, drogas adrenérgicas já foram despejadas no sangue e no cérebro, intoxicando nosso organismo enrijecendo músculos, sulcando a pele do rosto e envenenando as células do epitélio.

Existem inúmeras situações que podem ser provocadas para nos livrarmos do estresse e da depressão, e que irão nos fazer pessoas não só mais felizes, mas principalmente menos propensas ao envelhecimento.

Dedicar tempo para a sua esfera espiritual, exercer a meditação através de textos que inspirem confiança, esperança e fé, são elementos que devem existir em nossa rotina. O convívio, participação espiritual e a auto-ajuda que a religião oferece, são muito positivas neste esforço de uma postura e estilo de vida saudáveis para a mente e o corpo.

Por fim, decida-se não se aborrecer e manter-se livre da depressão e da ansiedade. Não é fácil, pois muitas das situações têm de ser confrontadas para que algumas coisas sejam resolvidas, se concluam negociações, relações sejam mantidas e para o andamento das coisas. Mas sempre haverá um meio de enfrentar tais situações com calma e bom humor.

Seja feliz, viva com mais saúde, beleza e uma aparência jovial e agradável.

Bibliografia:
Bogliolo, L., Patologia Geral Básica, Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A., 1978, p.378.
Henry, J.B., Diagnósticos Clínicos, São Paulo: Editora Manole Ltda, 1999, p.336.
Davis, B. e outros, Microbiologia – Infecções Bacterianas e Micóticas, São Paulo: EDART Livraria e Editora Ltda, 1973, p.48, v. 3
Femina; 32 (9): 785-789, out. 2004.
Guyton, A.C., Tratado de Fisiologia Médica, Rio de Janeiro: Editora Interamericana Ltda, 1977, p. 822.
Henry, J.B., op. cit., p. 1105.
PNAS; n.49; v.101; 17312-17315; Dez. 2004.
Dangelo e Fattini, Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar, São Paulo: Editora Atheneu, 2001, p. 02.
Braunwald, E.; Tratado de Medicina Cardiovascular, São Paulo: Editora Roca Ltda, 1987, p.1111.

O tempo não passa igualmente para todos

O tempo não passa igualmente para todos. Quando se chega perto dos 40, alguns continuam parecendo estar na casa dos 20, enquanto outros parecem perto da idade da aposentadoria. Além do aspecto estético, numa sociedade cada vez mais longeva, medir a idade real e a velocidade do envelhecimento individual pode ser muito útil para contrabalançar os efeitos da passagem do tempo quando ainda não começaram a causar doenças. Até agora, contudo, não existem métodos para medir o processo de envelhecimento nos adultos jovens. É isso que uma equipe internacional de cientistas coordenada pela Universidade Duke (EUA) está tentando mudar.
Os pesquisadores usaram o Estudo de Dunedin, que reuniu informações sobre a saúde de mais de 1.000 pessoas da cidade neozelandesa de mesmo nome desde que nasceram, entre 1972 e 1973, até a atualidade. Por um lado, utilizando um algoritmo que inclui 10 indicadores biológicos, como a relação cintura-quadris, a saúde das gengivas, os níveis de colesterol e triglicérides e a pressão arterial, calcularam a idade biológica dos indivíduos que queriam estudar. Embora todos tivessem 38 anos, alguns deles correspondiam à idade biológica de 28 anos, enquanto outros chegavam aos 61.
Os cientistas mediram ainda o ritmo de envelhecimento dos voluntários tomando como referência a variação de 18 indicadores biológicos entre os 26 e os 38 anos. Dessa forma observaram que, enquanto a maior parte das pessoas envelhece um ano biológico a cada ano cronológico, alguns envelheciam até três anos biológicos por ano cronológico. No extremo oposto, três dos participantes do Estudo de Dunedin tiveram um ritmo de envelhecimento biológico inferior a zero, recuperando a juventude fisiológica na casa dos 30.
Os autores do trabalho, publicado agora na revista PNAS, também observaram que quem envelhecia mais rápido e tinha uma idade biológica maior sofria uma queda também mais rápida do quociente intelectual, maior risco de demência e pior equilíbrio. Além disso, os voluntários que acumulavam anos biológicos com maior velocidade tinham uma percepção pior sobre a própria saúde e pareciam mais velhos aos olhos de observadores independentes.
Os pesquisadores reconhecem que ainda devem refinar suas aferições para saber, por exemplo, se alguns fatores relacionados com o envelhecimento têm mais influência no acúmulo de anos biológicos do que outros, esses resultados mostram que é possível quantificar as diferenças na velocidade com que pessoas jovens envelhecem, criando as bases para medir a eficiência de tratamentos anti-idade aplicáveis antes que a deterioração física surja na forma de doenças.
“Nossa pesquisa pode impulsionar de duas maneiras os esforços para prevenir as doenças e incapacidades relacionadas com a idade. Em primeiro lugar, torna possíveis outros estudos que revelem de que maneira diferentes fatores de risco podem acelerar o envelhecimento. Esses estudos poderão identificar metas para o trabalho de prevenção”, explica Dan Belskey, pesquisador da Universidade Duke e autor principal do estudo. “Em segundo lugar, torna possível a avaliação de terapias de antienvelhecimento em pessoas jovens”, acrescenta.
“Antes, os estudos tinham que se concentrar em adultos mais velhos, porque os efeitos da idade costumeiramente são medidos por meio de patologias cognitivas ou físicas”, prossegue. “Tentar retardar o envelhecimento de pessoas que já desenvolveram doenças crônicas é uma corrida morro acima. As terapias para retardar o envelhecimento em pessoas jovens podem ser mais eficientes porque os processos relacionados com a doença ainda não estão em andamento”, conclui.
Para completar os resultados, no futuro os pesquisadores querem medir que parte do ritmo com que envelhecemos está relacionada com a genética e que parte com o estilo de vida. Além disso, tentarão compreender por que alguns dos indivíduos estudados mostravam traços fisiológicos indicadores de que, ao menos durante um certo período, tornavam-se mais jovens com a passagem do tempo.
Em 2009, Pesquisadores britânicos descobriram um grupo de variantes genéticas associadas ao envelhecimento do ser humano – a descoberta indica o motivo de algumas pessoas envelhecerem mais rápido que as outras. Isso pode ajudar nas pesquisas sobre câncer e outras doenças relacionadas à idade.
Os cientistas, que trabalham na Universidade de Leicester e na King's College (Inglaterra), explicam que há dois processos de envelhecimento diferentes: a cronológica, que nós geralmente contamos em anos e indica há quanto tempo a pessoa "existe", e a biológica, em que as células do indivíduo podem ser mais novas ou mais velhas do que o sugerido pela idade dele.
No estudo foram analisadas mais de 500 mil variações genéticas existentes em todo o genoma (conjunto de genes de uma espécie) humano. Os pesquisadores identificaram que as variações genéticas ficam perto de um gene chamado Terc, já conhecido por sua influência em uma parte do DNA conhecida como telômero, que têm relação com o envelhecimento. Nas grandes sequências de DNA, há longas fitas chamadas telômeros, que se encurtam toda vez que a célula se divide. Se os telômeros ficam curtos demais, a célula não consegue mais viver.

Aokigahara - a floresta dos suicidas

Mais uma pérola que achei na internet. Achei super curioso. o link oficial é http://www.insanidadeshumanas.com.br/2014/05/aokigahara-floresta-dos-suicidas.html

Aokigahara 2012


Aokigahara ou Mar de Árvores como é conhecida, é uma floresta de 35km² situada na base noroeste do monte Fuji, no Japão. A floresta contém um grande número de rochas e cavernas de gelo, alguns dos quais são pontos turísticos populares. A densidade das árvores impedem o vento e causam à ausência de vida selvagem, Aokigahara é conhecida por ser estranhamente e extremamente silenciosa.

Aokigahara

Contam-se lendas sobre floresta. Algumas delas a relacionam com demônios e espíritos malignos característicos da mitologia japonesa e é conhecida por ser um local comum de suicídios. No ano de 2010, 54 pessoas completaram o ato na floresta, apesar de numerosas mensagens, em japonês e inglês, para que as pessoas reconsiderassem suas ações.


Em média, são encontrados cem corpos por ano, alguns em avançado estado de putrefação ou até mesmo somente seus esqueletos.

Suicida

O solo da floresta é principalmente composto por rocha vulcânica, sendo difícil penetrá-la com ferramentas manuais, como pás. Existem diversas trilhas não oficiais que são geralmente usadas para caçar os corpos, que acontece com certa regularidade feita por voluntários locais. Nos últimos anos, excursionistas e turistas começaram a marcar os caminhos por fita plástica de modo a poder encontrar novamente a mesma trilha, existe também a hipótese de isso ser feito por suicidas indecisos, que avançam para trilhas secundárias pensando em cometer o ato.

Suicida

Embora os oficiais as removam de tempos em tempos, para evitar o depósito de lixo na floresta, muitos turistas continuam deixando-as nas árvores. Grande parte das marcações encontra-se espalhada por todo o primeiro quilômetro da floresta, passando pelas trilhas que levam aos pontos turísticos, como a Caverna de Gelo e a Caverna do Vento. Depois desses pontos, a floresta está mais próxima da sua condição original, com poucas trilhas e sem sinais óbvios da presença de pessoas.

Suicida

A floresta é um lugar comum de suicídios, considerado o mais comum do Japão e o segundo do mundo, atrás apenas da Ponte Golden Gate, em São Francisco. As estatísticas variam, no período anterior a 1988, ocorriam cerca de 30 suicídios cada ano. Os números aumentaram desde então.

Suicida

Em 1998, 73 corpos foram encontrados dentro da floresta
Em 2002, 78 corpos foram encontrados dentro da floresta.
Em 2003, 100 corpos foram encontrados dentro da floresta. Depois disso o governo parou de divulgar as mortes com fim a diminuir os casos de suicídio do local, os dados abaixo não estão ligados ao governo.
Em 2004, 108 pessoas se mataram na floresta.
Em 2010, 247 tentaram suicídio, apenas 54 completaram o ato. O mês de maior número de suicídios no Japão é março, o fim do ano fiscal no país.

A popularidade da floresta como lugar de suicídios surgiu em 1960, na novela Kuroi Jukai (Mar sombrio das árvores), de Seicho Matsumoto, que termina com dois amantes cometendo suicídio na floresta. Porém, os relatos de suicídio na floresta precedem da publicação da novela, e o lugar há muito tempo era associado à morte. Talvez ele seja praticado na floresta desde o século XIX. A floresta é supostamente assombrada pelos fantasmas daqueles que morreram.

Suicida

Desde 1970 existe um grupo formado por policiais, jornalistas e voluntários para a busca de corpos dentro da floresta devido ao alto índice de suicídios no local.

Eu respondo

Eu respondo...

Perguntas:


Que horas você acordou hoje? 06:18 ( atrasada pra aula. Meu pai ligou para meu celular)
Diamantes ou pérolas? Diamantes ora!
Qual foi o último filme que você viu no cinema? Drácula
O que você come geralmente no café da manhã? Um pãozinho com alguma coisa
Qual comida você não gosta? Não gosto de carne de porco, pimenta...
CD favorito? ninguém mais cd
Sanduíche favorito? Beirute
O que detesta? Ficar gorda
Se você pudesse ir pra qualquer parte do mundo de férias, pra onde você iria? Bora Bora
Onde você gostaria de se aposentar?Estados Unidos
Qual foi o seu aniversário recente mais memorável? O de 28 anos
Esporte preferido pra assistir? Surf
Quando é o seu aniversário? 04 de junho
Você é uma “morning person” ou uma “night person”? Uma pessoa do dia
Quanto você calça? 34
Animais de estimação? sim
Alguma novidade que você gostaria de compartilhar? Sou mais inteligente hoje
O que você dizia que queria ser, quando criança? Advogada
Como você está hoje? com sono
Qual é o seu doce preferido? de banana
Qual a sua flor favorita? Esporinha
Por qual dia do calendário você está esperando ansiosamente?30 de julho de 2018
Qual o seu nome completo? C...
O que você está escutando agora? Cheeleader
Qual foi a última coisa que você comeu? pipoca krokero
Você faz pedido para as estrelas? não mais
Se você fosse um lápis de cor, que cor seria? azul
Como está o tempo agora? Quente
Última pessoa que você falou no telefone? Meu pai
Refrigerante preferido? não tomo mais
Restaurante preferido? Japonês
O seu brinquedo preferido quando criança? ludo
Inverno ou verão? Verão
Beijos ou abraços? beijo
Chocolate ou Baunilha? Chocolate
Café ou chá? café
O que tem debaixo da sua cama? sapato
O que você fez na noite passada?Falei com o Pedroe passei roupa
Do que você tem medo? da morte
Salgado ou doce? SAlgado
Quantas chaves tem no seu chaveiro? 3
Dia preferido da semana? quarta-feira
Em quantos lugares você já morou? 24
Você faz amigos facilmente? não mais.

Enfim você chegou!

O Tarot e a Psicologia

Ψ Jung e o Tarot - Uma Jornada Arquetípica - O Tarô é um dos espelhos do  pensamento inconsciente.  - Cada uma das cartas...