quinta-feira, outubro 01, 2015

COISAS QUE NOS ENVELHECEM

COISAS QUE NOS ENVELHECEM


Se você deseja preservar sua aparência jovial, ter um corpo saudável e atraente terá de conhecer como seu organismo funciona e rever seus hábitos de vida.

Os fatores que acabam com a nossa saúde e alteram nosso biótipo, estão em nossa rotina como hábitos agradáveis, outros estão ligados ao nosso trabalho, nosso modo de ser e agir, modismos, hábitos alimentares e inúmeras outras coisas. A modernidade aumenta a associação a eles e a sofisticação fortalece os vínculos. Esses fatores mudam nossa fisiologia, alteram nosso biorritmo, envenenam nosso organismo e até causam doenças.

Doenças
Adoecer envelhece; desde uma simples gripe a infecções urinárias, de garganta, ouvido e dente, todas promovem o envelhecimento. Principalmente aquelas doenças que produzem febre . Os hormônios da tireóide que são responsáveis pelo metabolismo do corpo são aumentados durante uma doença ou internação hospitalar ; nossos cabelos e unhas crescem mais rápido (20% a mais), e as células e tecidos do corpo degeneram mais rápido. O tecido epitelial por ser o mais visível, é o primeiro a se observar os efeitos do envelhecimento; e assim ocorre pela aceleração metabólica, provocada por doenças constantes.

Há infecções sub-clínicas que por vezes não percebemos; são infecções que acontecem sem os sintomas clássicos da doença ou atenuados pela competência imunológica. amigdalites, vaginites, cervicites e dezenas de outras infecções podem estar minando nossa energia e envelhecendo nosso corpo.

As mulheres visivelmente envelhecem mais rápido que os homens. Isto porque a mulher passa por eventos como o parto, cirurgias, intervenções médicas etc, que são mais comuns ao sexo feminino. Mesmo as mulheres que não tem filhos, a sua própria constituição feminina (genitais, hormonal etc) conspiram contra sua beleza, através de complicações, infecções, tensões, sobrecargas de atividades etc.

A própria prática sexual (como é feita) pode conspirar contra a mulher.

Evitar uma gripe, inflamações, ou uma infecção qualquer, garante vitalidade e beleza física. Em indivíduos como as mulheres que estão constantemente expostas a situações adversas a saúde, a vigilância por se manter saudável e livre de doenças, é primordial.

Alimentação
As dietas hiper-calóricas ou alimentos com muito açúcar (sorvetes, pudins, bolos, docinhos etc) promovem o envelhecimento. As calorias excessivas oferecida às células dos vários tecidos e órgãos promovem um desgaste celular pelo metabolismo do oxigênio, e seu produto em radicais livres ; isso porque a metabolização destes tipos de alimentos, é intermediada pela Insulina (em altas taxas), resultando a produção de radicais livres e ativação de genes responsáveis por 70% das modificações genéticas da velhice.

Alimentos de origem animal não são recomendáveis para quem quer preservar sua jovialidade; a metabolização de agentes orgânicos de origem animal, produz metabólicos tóxicos ao organismo. O exemplo clássico é a carne, que depois de digerida e metabolizada, produz amônia, uréia e acido úrico , intoxicando o sangue e sobrecarregando os rins. A dieta de origem animal ainda favorece o contato com bactérias, parasitas, fungos e vírus, que são responsáveis por 35% das hospitalizações nos EUA.

Todos esses eventos estressam e sobrecarregam o organismo levando ao envelhecimento precoce.

Estresse
Há muito tempo se sabe que o estresse promove o envelhecimento, mas até agora não haviam relacionado a causa deste processo. O estresse, como a preocupação de uma mãe com dupla carga horária (trabalho e filhos), por exemplo, pode adicionar dez anos à idade biológica das células de uma mulher.

Isso porque o estresse é capaz de prejudicar partes do DNA conhecidas como telômeros, que participam no controle da divisão celular. Os telômeros são tiras de DNA na ponta final dos cromossomos, que parecem proteger e estabilizá-los. Porém, eles diminuem a cada vez que uma célula se divide, até que não sobre mais nada, fazendo as divisões celulares menos confiáveis e aumentando as probabilidades de doenças comuns em idades avançadas. Em média, a diferença do tamanho dos telômeros entre as mulheres que enfrentavam níveis altos e baixos de estresse era o de aproximadamente uma década de envelhecimento.

Inatividade
A falta de atividade em nossos dias é muito relativa; uma pessoa pode passar até 10 horas em uma rotina de trabalho, mas ser considerada sedentária, pois suas atividades se limitam a uma sala fechada, privada de ar puro, luz solar e exercício físico.

O envelhecimento pela inatividade é algo muito óbvio, pois nossos músculos perdem tônus, força e ficam mais propensos a distensões e dores. A irrigação que o sangue oferece aos vários tecidos e órgãos não é feita devidamente, e as células perdem um suprimento de oxigênio e nutrientes.

Para este perfil de pessoa (o sedentário), tão comum em nossos dias, a solução é que diariamente ou em dias intercalados faça uma rotina de exercícios físicos compensatórios. Desde a uma simples caminhada, passeios ciclísticos, natação, prática de um esporte ou ginástica em casa; essas atividades devem ser regulares e em períodos de 40 minutos no mínimo.

A atividade física expõe o individuo a outros fatores externos que irão contribuir para a saúde geral. Ao se praticar uma atividade física somos expostos ao sol, ar puro, água (que é ingerida em maior abundância) e elementos visuais (o azul do céu, o verde da vegetação) que auxiliam no descanso mental.

Hábitos
O que você faz no seu dia a dia vai afetar sua expectativa de vida. Hábitos simples e inofensivos, mas que repetidos durante 5, 10, 20 anos, irão determinar a sua expectativa de vida. Esses hábitos fazem surgir eventos como doenças, mal estar, lesões, inflamações e até a disposição para se encarar o dia-a-dia.

Essa esfera de nossa vida é tão vasta atingindo desde nossos hábitos de postura (sentar) até nossos hábitos mais íntimos (higiene e sexuais). Eles estão ligados a cada movimento, atitude e pensamento; cada pessoa deve analisar os seus hábitos diários e verificar se estão causando algum problema.

O exemplo clássico é o hábito da postura, seja enquanto nos sentamos, ficamos de pé ou caminhamos.

A má postura determina até a conformação de nossos órgãos internos e seu desempenho fisiológico; doenças por má postura são conhecidas e mais ainda as dores que elas causam. Uma pessoa que possui problemas em sua coluna, causada pela má postura, terá uma qualidade de vida inferior causada pelas constantes dores e a impossibilidade de realizar certos movimentos e atividades.

Uma famosa doença (síndrome) da modernidade é a LER. A Lesão por Esforço Repetitivo é comum no ambiente de trabalho, onde a repetição mecânica faz parte da rotina diária. Ela causa lesões nas mais diferentes partes do corpo – membros, tendões e articulações. São os hábitos de trabalho e como as atividades são conduzidas que determinam as lesões. Atualmente as empresas estão inserindo nas rotinas de trabalho, o hábito de exercícios de alongamento, aquecimento e fortalecimento, para evitar as lesões. Outras empresas estão premiando os funcionários que possuem o hábito de praticar os exercícios físicos, pois estes estão mais preparados para enfrentar uma rotina de trabalho.

Não podemos falar de hábitos sem mencionar a higiene. Uma simples escovação dos dentes pode ajudar a você não ter complicações cardíacas. Pessoas que não possuem o hábito de escovar os dentes desenvolvem placas bacterianas que causam lesões na gengiva, e posterior sangramento, facilitando o acesso destes microorganismos na circulação sanguínea e instalação no tecido cardíaco com a evolução de endocardites.

São muitos os maus hábitos que precisam ser corrigidos. Dirigir em alta velocidade ou de forma agressiva no trânsito, comer em frente à TV; sentar-se à mesa para uma refeição em meio a discussões; praticar esporte radical, todos esses hábitos desencadearão a produção substâncias adrenérgicas, que também envelhecem o organismo.

Disposição Mental
A ansiedade e a depressão são consideradas as doenças da pós-modernidade.
Há muitos fatores que determinam o aparecimento desses dois sintomas e a formação de quadros clínicos complexos e até síndromes. Mas muitas vezes a ansiedade e a depressão estão associadas a coisas banais, como a não satisfação de desejos materialistas. Muitas pessoas estão ansiosas ou deprimidas hoje em dia porque não possuem algumas bugigangas eletrônicas, bens materiais ou até mesmo mais dinheiro; a depressão aparece porque não se consegue um status determinado, ou seguir um padrão social idealizado.

Pessoas com essas tendências refletem no rosto as marcas da ansiedade ou da depressão. A pele se torna menos irrigada e o tecido recebe poucos nutrientes para uma aparência saudável; os músculos ficam flácidos, riscando a pele com sulcos graves e profundos.

Por outro lado o sorriso aumenta a irrigação dos tecidos musculares e epiteliais (pele) do rosto promovendo a rigidez e a aparência saudável. Uma pele que constantemente sofre os efeitos de um sorriso ou de uma gargalhada, irá estar firme e corada.

A inércia do rosto é uma realidade em nossos dias, pois a ansiedade e a depressão nos isolam das pessoas e situações agradáveis; sulcos e dobras de pele vão surgindo pela inércia dos tecidos da pele e músculos, por não serem exercitados ou se manterem tensos e repletos de substâncias adrenérgicas tóxicas.

Muitas pessoas ao se sentirem estressadas ingerem o álcool para esquecerem os problemas; os que são propensos à depressão gostam de ingerir doce para estimular o sistema compensatório do cérebro (que é um mecanismo não natural). O álcool e os doces são fatores que aceleram o envelhecimento do organismo.

Enfim, são inúmeras as situações, algumas corriqueiras outras mais complexas, mas que devemos estar cientes, para evitar a perda de bens preciosos que são a saúde e a beleza.

È aqui que reside o sucesso de estarmos lutando contra nossas tendências naturais ao estresse que nos envelhece e tira a beleza física; há muitas situações em que precisamos gerenciar nossos pensamentos, palavras e ações para que a ira, raiva, ressentimentos, não tenham lugar em nossa mente. Quando essas emoções aparecem, drogas adrenérgicas já foram despejadas no sangue e no cérebro, intoxicando nosso organismo enrijecendo músculos, sulcando a pele do rosto e envenenando as células do epitélio.

Existem inúmeras situações que podem ser provocadas para nos livrarmos do estresse e da depressão, e que irão nos fazer pessoas não só mais felizes, mas principalmente menos propensas ao envelhecimento.

Dedicar tempo para a sua esfera espiritual, exercer a meditação através de textos que inspirem confiança, esperança e fé, são elementos que devem existir em nossa rotina. O convívio, participação espiritual e a auto-ajuda que a religião oferece, são muito positivas neste esforço de uma postura e estilo de vida saudáveis para a mente e o corpo.

Por fim, decida-se não se aborrecer e manter-se livre da depressão e da ansiedade. Não é fácil, pois muitas das situações têm de ser confrontadas para que algumas coisas sejam resolvidas, se concluam negociações, relações sejam mantidas e para o andamento das coisas. Mas sempre haverá um meio de enfrentar tais situações com calma e bom humor.

Seja feliz, viva com mais saúde, beleza e uma aparência jovial e agradável.

Bibliografia:
Bogliolo, L., Patologia Geral Básica, Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S.A., 1978, p.378.
Henry, J.B., Diagnósticos Clínicos, São Paulo: Editora Manole Ltda, 1999, p.336.
Davis, B. e outros, Microbiologia – Infecções Bacterianas e Micóticas, São Paulo: EDART Livraria e Editora Ltda, 1973, p.48, v. 3
Femina; 32 (9): 785-789, out. 2004.
Guyton, A.C., Tratado de Fisiologia Médica, Rio de Janeiro: Editora Interamericana Ltda, 1977, p. 822.
Henry, J.B., op. cit., p. 1105.
PNAS; n.49; v.101; 17312-17315; Dez. 2004.
Dangelo e Fattini, Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar, São Paulo: Editora Atheneu, 2001, p. 02.
Braunwald, E.; Tratado de Medicina Cardiovascular, São Paulo: Editora Roca Ltda, 1987, p.1111.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ficarei feliz em saber sua opinião