domingo, março 16, 2014

Sorveria

No Bríatharogam de Mac ind Oic, Luis chama-se "amiga do gado". Entre os irlandeses antigos, o roubo de gado era um meio de vida e a riqueza de alguém era medida pelo tamanho de seu rebanho. Quando saqueadores eram esperados, a sorveira era o local de reunião dos defensores. 

está ligada à arte da navegação, é a protetora dos marinheiros. Se você estiver embarcando numa viagem de descoberta, partindo em busca de sua fortuna ou começando uma aventura em mares tempestuosos, faria bem em tomar Luis como sua guia. É o sinal do sucesso material, da acumulação de riquezas, da proteção do lar e da defesa contra influências perniciosas de todos os tipos.


Sagragnos: a Visão. Luis é a sorveira, o abrir dos olhos, olhando atentamente o que está ao redor, percebendo as possibilidades de toda a realidade próxima. É a percepção do que está ali. É a guardiã vigilante em posição na entrada da mente, do coração. É o vigia iluminando a noite com luz de tochas. É o estado alerta que ajuda a garantir a segurança da cidade ou de si mesmo, um castelo de bem-estar para o indivíduo e para o grupo. Isso inclui não somente ficarmos atentos as nossas necessidades individuais em todos os níveis (físico, mental, emocional, espiritual), mas também às necessidades e circunstâncias da família, do grupo, da organização a que pertencemos e de outros a nossa volta que nos influenciam, que já interagem conosco ou irão fazê-lo em breve. Luis ilumina os quebra-cabeças, as perplexidades e enigmas, lançando luz sobre as páginas do pergaminho do conhecimento da vida. 


É o meio Uma das coisas mais difíceis para quem começa a conhecer o Druidismo é encontrar informação de qualidade sobre o que ele seja e mesmo sobre os povos celtas, e a importância de fontes confiáveis é algo que devemos levar extremamente a sério, pois a desinformação abre espaço para todo tipo de confusões e aproveitadores.

O material aqui indicado foi todo verificado e dividido de acordo com seu tipo e sua importância histórica ou acuidade científica. Desta forma pretendemos auxiliar a comunidade druídica, estudiosos, interessados e curiosos a conhecer melhor sobre o que seja nossa fé e como funciona o Druidismo Histórico sem, no entanto, omitir alguns relatos que consideramos interessantes de se conhecer.


É importante lembrar, entretanto, que o conhecimento sobre os celtas vem sendo aperfeiçoado continuamente de acordo com pequisas e estudos acadêmicos, e que nenhuma das obras indicadas deve ser encarda como verdade absoluta, pois se há uma coisa que quem estude ou vivencie o Druidismo precisa aprender desde o início é que a mudança é a única certeza, e que devemos ter muito cuidado com o que chamamos de mudança e o que é a deturpação de algo.


a sorveira, também chamada "freixo-da-montanha", cresce nas encostas das montanhas, florescendo em solos pobres e de pouca espessura, enraizando-se em fendas estreitas no meio das rochas. É o emblema da ambição, determinação e sucesso, para alcançar o seu objetivo, mesmo que este seja muito elevado e a luta se mostre dura. 
que nos permite caminhar com segurança pela estrada da compreensão. É o modo de reconhecermos onde estamos e o que estava logo adiante oculto pelas sombras que ela dissipa. 

Coslogenos: devoção à chama sagrada, serviço a uma causa mais alta, abnegação, disciplina, dedicação. Invertida: dogma, obediência sem questionamento, ação sem reflexão. 


Coirí Filidechta - Os Caldeirões da Poesia:


Coire Goiriath (Caldeirão do Aquecimento), físico: você aplicará seus sentidos a si mesmo para distinguir o bom do mau, o dano do auxílio.


Coire Érmai (Caldeirão do Movimento), emocional/mental: você não será influenciado, enganado ou persuadido por ninguém. Mantenha sua inteligência atenta.


Coire Sois (Caldeirão da Sabedoria), espiritual: sua força irá afastar qualquer coisa que ameace seu propósito e sua serenidade. Não se assuste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ficarei feliz em saber sua opinião